O País – A verdade como notícia

Exéquias de Dom Alexandre iniciam amanhã

Decorrem os preparativos para as exéquias fúnebres de Dom Alexandre José Maria dos Santos. Serão três dias de cerimónias, reservados às pessoas singulares e crentes que queiram dar o seu último adeus ao primeiro cardeal moçambicano.

As cerimónias terão início no dia 5 de Outubro. O corpo de Dom Alexandre sairá da morgue e, antes de repousar na sua última morada, vai passar por alguns locais que fizeram parte da sua vida e obra, conforme explicou Dom Francisco Chimoio, Arcebispo de Maputo.

“O corpo sairá da morgue para a Igreja Santo António da Polana; de lá vai para Universidade São Tomás de Moçambique e, no fim da tarde, sairemos para Khongolote, na casa onde viveu os seus últimos anos e toda a noite vão passar pessoas para se despedir, com cânticos e orações”, explicou o sacerdote.

Nesses locais, todas as pessoas singulares que queiram despedir-se do Cardeal poderão aproximar-se para o fazer.

Já o dia seis será reservado às 46 paróquias da Arquidiocese de Maputo, que poderão dar o seu último adeus a Dom Alexandre, bispo que sempre esteve presente na formação destas congregações.

“Logo de manhã, vamos sair para a Catedral. De manhã, haverá uma celebração eucarística e, em grupos, os crentes das paróquias vão passar para se despedir até à tarde, já às 18 irei celebrar a missa para a conclusão do velório”, referiu.

Serão 15 representantes de cada paróquia e, no dia do velório, serão apenas dois por cada paróquia, porque a maioria terá feito isto no dia seis.

No dia sete, último dia das exéquias, haverá uma cerimónia de Estado e espera-se que o número de participantes não possa passar de 50 pessoas.

“O decreto fala de 50 pessoas dentro, mas já submetemos um pedido ao ministério da Justiça a pedir a presença de 300 pessoas, esperamos uma resposta positiva para os dois dias”, disse Dom Chimoio.

O reitor da Universidade São Tomás, Joseph Wamaca, disse que a passagem do corpo pela universidade será um momento para homenagear o seu fundador.

“Estamos a organizar uma homenagem para publicamente reconhecer os seus feitos e também rezar por si. Queremos endereçar-lhe o nosso muito obrigado, prometer que vamos continuar com o seu legado, mas também queremos dizer à sociedade moçambicana que a São Tomás será a mesma mesmo com a morte de Dom Alexandre; vamos continuar com o seu lema: servir e não ser servido”

Durante a viagem da Universidade São Tomás ao bairro Khongolote, onde vivia o cardeal, o corpo vai passar pela Estrada Circular, entrando pela Avenida Dona Alice, até encontrar a Avenida Dom Alexandre, onde se espera que todos que queiram despedir-se e voluntários que trabalharam na visita papal acompanhem o cortejo fúnebre.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos