O País – A verdade como notícia

EUA pedem a talibãs que permitam acesso ao aeroporto de Cabul

No aeroporto de Cabul, o caos reina dia e noite. Do lado de fora, afegãos desesperados imploram às tropas norte-americanas para entrar. O exército responde tentando conter a multidão com gás lacrimogéneo. Desde domingo, 12 pessoas morreram no local a tentarem fugir do domínio talibã, escreve a Euronews.

Vários países continuam a fazer sair do Afeganistão cidadãos nacionais e afegãos.

Em Washington, o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Ned Price, garantiu, esta quinta-feira, que os Estados Unidos da América (EUA), o G7 e “mais de 100 países têm advertido os talibãs de que a passagem segura deve ser garantida a todos aqueles que desejem transitar para o aeroporto”.

No Twitter, o Presidente Joe Biden reiterou que “os direitos humanos devem estar no centro da política externa dos EUA, salientando que a questão não é periférica, mas que no caso do Afeganistão será tratada doravante através de relações diplomáticas e não através de destacamentos militares”, refere a Euronews.

Vários relatos dão conta de cidadãos afegãos agredidos enquanto tentavam aceder ao aeroporto. No entanto, os talibãs estão a autorizar as operações de evacuação dos países ocidentais, como moeda de troca do reconhecimento internacional.

 

EUA JÁ RETIRARAM NOVE MIL PESSOAS DE CABUL

Os Estados Unidos da América (EUA) retiraram três mil pessoas do Afeganistão nas últimas 24 horas, elevando para nove mil o total de indivíduos que o país conseguiu fazer sai de Cabul desde 14 de Agosto.

De acordo com o Notícias ao Minuto, na quarta-feira, três mil pessoas deixaram o aeroporto de Cabul a bordo de 16 aviões militares C-17. Destes, apenas 350 cidadãos eram norte-americanos, sendo o restante colaboradores afegãos e familiares.

A imprensa internacional avança na possibilidade de o total de transportados pelos Estados Unidos nas últimas 24 horas ser superior ao já anunciado, uma vez que durante esse período saíram do Afeganistão 11 voos “charter”, cujos passageiros ainda não foram contabilizados.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos