O País – A verdade como notícia

Estudo revela que pelo menos uma pessoa morre a cada acidente de viação na Matola e Boane

Na sequência, perante o incremento dos indicadores de sinistralidade rodoviária na província, visando reestruturar o referido projecto e alargá-lo a mais comunidades, a AMVIRO e outras organizações realizaram, de Outubro a Novembro, um “Estudo de Base” para melhor percepção dos cenários de sinistralidade rodoviária na província, tendo, entre outros, concluído que as cidades da Matola e Boane, em 2020, haviam apresentado um rácio igual ou acima de “1 óbito por acidente”.

Outrossim, cerca de 62% dos acidentes que provocaram 54% dos óbitos foram causados por atropelamentos, o que demonstra o grau de risco “muito elevado”. Aqui, os peões estão expostos. Relativamente aos 9 meses do ano prestes a findar, o estudo concluiu que todos os indicadores apresentam incremento considerável, sendo de destacar os acidentes e óbitos, com cerca de 11% e 58% de incremento, respectivamente.

Para dar um contributo, baseado em evidências, após inúmeras discussões com os parceiros de Segurança Rodoviária (SR), com destaque para a Polícia de Trânsito, INATRO, entre outros, a AMVIRO, com o aconselhamento da MOZAL, desenvolveu o Projecto Integrado de Segurança rodoviária na Comunidade (PSRC), com foco específico nos Municípios da Matola e Boane, a abranger a EN4, EN2 e Estrada da MOZAL, vias consideradas mais movimentadas nestes dois Municípios.

Entre outras actividades, o PISRC prevê reforçar as infra-estruturas de SR (passadeiras) em mais de 16 pontos críticos (PC) previamente identificados, incluindo escolas, recrutar, formar e alocar 24 jovens facilitadores de trânsito, nas horas de ponta, em pelo menos 7 PC, para cooperarem com as autoridades de trânsito no reforço da educação cívica aos condutores e peões, sistematicamente.

Desde 2017, a Associação Moçambicana para as Vítimas de Insegurança Rodoviária (AMVIRO), em parceria com diferentes entidades públicas e sob financiamento da MOZAL, tem vindo a implementar, nos Municípios da Matola e Boane, um projecto de segurança rodoviária denominado “Segurança Primeiro”, em 24 escolas, tendo abrangido mais de 150 mil alunos. Em 2019, o referido projecto contribuiu para se atingir, na Matola, a marca de “zero atropelamento de crianças” (alunos), o que os promotores consideram encorajador. Refira-se que o governador da província de Maputo, Júlio Parruque, vai lançar esta segunda-feira, 20 de Dezembro, um projecto de Segurança Rodoviária Comunitária.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos