O País – A verdade como notícia

“Estamos à beira de um controlo inclusivo, abrangente e sustentável do HIV/SID”*

O mundo foi atingido severamente por uma pandemia global como nunca tinha acontecido na história recente, salientando a realidade da nossa ligação mútua para além do que julgávamos. Neste Dia Mundial de Combate ao SIDA, quero congratular todos os Moçambicanos, e especialmente o Governo, pelo seu trabalho árduo na defesa da nossa segurança e saúde aqui em Moçambique.

Todos os países, todas as comunidades, e todas as famílias foram de alguma forma afectados por este novo vírus, a COVID-19. Após meses de vivência com a COVID-19 entre nós, familiarizámo-nos demais com a necessidade de encontrar atenção médica de urgência para um familiar idoso, lidámos com o novo normal de utilização de máscaras e manutenção de distanciamento social, e os requisitos necessários de testagem e quarentena para mantermos os nossos entes queridos seguros. Esta pandemia global sublinha a importância de um sistema de saúde pública robusto, forte o suficiente para tratar pacientes, prevenir uma maior propagação da pandemia, e gerir os imprevistos.

Sinto-me orgulhoso porque o Governo dos E.U.A. providenciou 19.7 milhões de dólares para assistência relacionada com a COVID-19 e doou 50 ventiladores ao Governo de Moçambique. No entanto, estou particularmente satisfeito porque a resposta de Moçambique à COVID-19 assentou na fundação de uma parceria eficaz entre os E.U.A. e Moçambique no sector da saúde. Ao longo dos últimos dezasseis anos, o Plano de Emergência do Presidente dos E.U.A. para o Alívio do SIDA (PEPFAR) tem trabalhado lado a lado com os oficiais locais para expandir a testagem do HIV, rastrear contactos, providenciar tratamento e promover a prevenção. A resposta de Moçambique à COVID aproveitou da experiência profunda do país nestas mesmas áreas. A nossa cooperação tem ajudado Moçambique a alcançar uma taxa de infecção e mortalidade da COVID impressionantemente baixa, salientando-se como um dos países mais resilientes durante a pandemia. A nossa cooperação também está a demonstrar resultados reais na luta contra o HIV-SIDA.

Após mais de 16 anos e mais de 3 biliões de dólares de assistência médica, milhões de moçambicanos se encontram sob tratamento de HIV que salva vidas e instituíram programas salvadores de vidas que cuidam dos mais vulneráveis entre nós.

O HIV, em tempos uma sentença de morte, é hoje uma condição médica controlável. Hoje, no Dia Mundial de Combate ao SIDA, tenho orgulho em afirmar que nos encontramos à beira de um controlo inclusivo, abrangente e sustentável do HIV/SIDA. Isto graças aos programas de prevenção e tratamento que os governos dos E.U.A. e de Moçambique implementaram, e à dedicação dos nossos parceiros de implementação.

Qualquer moçambicano que teste positive para o HIV recebe tratamento imediato e tem acesso a medicação nas unidades de saúde da sua comunidade. Estes 1.3 milhões de moçambicanos que foram testados e estão a receber tratamento são professores, agricultores, empresárias, enfermeiras e crianças que podem assim contribuir para o progresso desta grande nação. O sucesso encontra-se nos números. Ao longo dos últimos 10 anos, os óbitos relacionados com o HIV abrandaram em mais de 20 por cento.
Mas não podemos ainda clamar vitória completa. Em Moçambique, mais de um em cada 10 adultos e mais de 200 mil crianças ainda vivem com HIV. Para reduzir a prevalência desta doença, os Governos dos E.U.A. e de Moçambique continuam a usar métodos modernos de tratamento, mas a prevenção é igualmente importante.

A prevenção é crucial para controlar esta epidemia, particularmente entre os jovens. O nosso programa DREAMS apoia raparigas em quase todos os aspectos das suas vidas, ajudando a prevenir a sua infecção pelo HIV. Apenas este ano, mais de 15 mil raparigas completaram o programa DREAMS. Isso representa 15 mil jovens moçambicanas menos vulneráveis a contrair HIV.

A erradicação da epidemia do HIV/SIDA exige mais do que a cooperação governamental. Exige o trabalho árduo, dedicação e compreensão de todos os segmentos da sociedade. Sinto-me inspirado pelo compromisso vitalício a esta causa de enfermeiros e médicos, professores, organizações da sociedade civil, líderes religiosos, organizações baseadas na fé, empresas privadas, e outros que lutam por melhores serviços e tratamento igual para aqueles que vivem com HIV/SIDA. É por causa de vós que podemos tocar tantas vidas.

Para acabar finalmente com esta epidemia, todos temos de tomar uma posição contra o estigma e a discriminação e apoiar cada um de nós para que conheça a sua condição. O povo dos Estados Unidos continua empenhado em apoiar o povo de Moçambique em face do HIV/SIDA, da COVID-19, malária, e outros desafios de saúde. Juntos podemos alcançar uma geração livre de SIDA.

Muito obrigado. Estamos juntos.

*Opinião alusiva ao Dia Mundial de Luta contra o HIV e SIDA e o título foi adaptado pelo O País

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos