O País – A verdade como notícia

Escassez de chuva causa défice de 8% na produção de energia eléctrica

O país registou um défice de oito por cento na produção de energia neste ano. O défice foi causado pela escassez de chuva registada um pouco por todo país e principalmente na região centro. A informação foi avançada pela ministra dos Recursos Minerais e Energia (MIREME), Letícia Klemens, no encerramento do III Conselho Coordenador do seu ministério.

Apesar desta baixa na produção de energia, o número de novos consumidores aumentou. “Relativamente à área de energia, registamos uma redução de oito por cento devido principalmente ao défice hidrológico que se faz sentir no país. Contudo registamos com agrado a realização de 82 mil novas ligações de energia eléctrica, elevando o número de 69 mil para 7.320 milhões de novos consumidores”, explicou a ministra.

Com vista a reverter o quadro, o país irá apostar na produção de energia através de fontes renováveis. Espera-se que com a entrada em funcionamento da Central Solar de Mocuba a rede eléctrica seja reforçada com 40 Megawatts.

“Num futuro breve, Moçambique passará a contar com energia de centrais solares na sua matriz energética. Com efeito a conclusão e entrada em funcionamento da central solar de Mocuba prevista para 2018, resultará na injecção de 40 megawatts na rede eléctrica nacional”, disse Klemens.  

Embora as energias renováveis sejam vistas como principal alternativa para o défice hidrológico, Letícia Klemens aponta o desenvolvimento de capital humano e a participação destes em processo de negociação de tarifas como forma de tornar o sector sustentável.

Ainda falando sobre o desempenho do sector, foi adiantado que a área de hidrocarbonetos registou um crescimento de 51,3 por cento. Para o gás natural e 34,5 por cento para o condensado, em relação ao igual período de 2016.

No tocante aos indícios de corrupção, Klemens avançou que estão a ser tomadas medidas para combater o mal. Essas medidas passam por eliminação de requisitos e passos desnecessário no licenciamento das actividades do sector e a redução do tempo de tramitação dos vários pedidos submetidos pelo cidadão.

O III Conselho Coordenador do Ministério dos Recursos Minerais e Energia (MIREME) teve a duração de três dias e tinha como objectivos fazer a avaliação do cumprimento do Programa Quinquenal do Governo 2015-2019 e do Plano Económico e Social (PES) de 2017 e perspetivar as acções do PES 2018.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos