O País – A verdade como notícia

Equador realiza amanhã segunda volta das eleições presidenciais

O Equador realiza este domingo a segunda volta das eleições presidenciais. Os mais 13 milhões de votantes inscritos deverão escolher entre o candidato socialista Andrés Galarza e o conservador Guillermo Lasso, num ambiente considerado incerto. A 07 de Fevereiro passado, 16 candidatos participaram na primeira volta das eleições presidenciais e os peruanos escolheram também 137 representantes para a Assembleia Nacional.

O economista Andrés Galarza, de 36 anos, ficou em primeiro lugar, com cerca de 33 por cento dos votos, contra cerca de 20 por cento do ex-banqueiro de direita Guillermo Lasso, de 65 anos.

Na mesma votação, o líder indígena de esquerda Yaku Perez, de 51 anos, obteve 19,39 por cento de votos.

Andrés Galarza concorre pela coligação União pela Esperança, da esquerda, e é considerado afilhado político do ex-Presidente Rafael Correa, o qual detém ainda uma força política poderosa, apesar de a sua condenação à revelia a oito anos de prisão por corrupção.

Rafael Correa, que foi aliado próximo do ex-Presidente venezuelano Hugo Chávez, está actualmente exilado na Bélgica.

Andrés Galarza propôs fazer os ricos pagarem mais impostos e fortalecer os mecanismos de protecção ao consumidor, bancos públicos e organizações locais de crédito e poupança. O candidato disse que não cumprirá os acordos estabelecidos com o Fundo Monetário Internacional.

O banqueiro Guillermo Lasso, do movimento Criando Oportunidades, que abriga partidos de centro-direita, defende políticas de livre mercado e a aproximação do Equador às organizações internacionais.

Lasso prometeu criar mais empregos e atrair bancos internacionais, assim como impulsionar os setores do petróleo, mineração e energia com a participação de entidades privadas em substituição do financiamento estatal.

O equador tem 17,4 milhões de habitantes e vive uma desaceleração económica em grande parte impulsionada pela queda nos preços do petróleo em 2015 e a crise de saúde causada pela pandemia da COVID-19.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos