O País – A verdade como notícia

Mais de 21 mil pessoas podem ser afectadas por inundações na capital

Foto: O País

Mais de 21 mil pessoas poderão ser afectadas por inundações na época chuvosa 2021-2022, só na Cidade de Maputo. A informação foi avançada, nesta quinta-feira, pela delegação do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres a nível da capital do país.

Os sinais já são visíveis na Cidade de Maputo. Chuviscos, ruas alagadas e céu nublado caracterizam o início da época chuvosa. E as autoridades prevêem dificuldades na assistência às famílias, devido à insuficiência de fundos.

“Para esta época chuvosa, espera-se que mais de 21 mil pessoas, que correspondem a mais de cinco mil famílias, sejam afectadas por inundações e automaticamente vão necessitar de assistência humanitária. Cerca de quatro mil famílias vivem na base de agricultura. Conforme foi informado recentemente, temos um défice de 7.3 biliões de meticais para contornar possíveis complicações. O Governo e parceiros já estão a estudar meios de mobilizar o valor necessário. Se a maioria destes factores falhar, vamos recorrer aos serviços humanitários”, disse a delegada do INGD na Cidade Maputo, Esselina Muzima.

O Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres garante que já começou a realizar actividades concretas para evitar que cerca de quatro mil famílias, que vivem da agricultura, na Cidade de Maputo, se ressentem dos efeitos das chuvas.

“Para este ano, activamos os comités, fizemos a revitalização, porque já passava muito tempo sem ocorrência; tivemos que ir às localidades e voltar a formar as equipas. Estamos, agora, a sensibilizar as pessoas para melhorarem os tectos e fazerem a limpeza das valas. Este trabalho envolve, também, os Municípios. A edilidade da Cidade de Maputo já está a preparar as condições para enfrentar as chuvas”, acrescentou a delegada.

Para a época chuvosa 2021/2022, estima-se que mais de um milhão de pessoas, em Moçambique, poderão ser afectadas por cheias. O prognóstico deste período aponta, ainda, para a ocorrência de doenças, como malária e diarreia, um pouco por todo o país.

De recordar que Moçambique vai participar, no próximo mês, na 26ª Conferência das Nações Unidas para a Mudança do Clima, com o objectivo de mobilizar recursos financeiros, para fazer frente aos eventos climáticos, que assolam ciclicamente o país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos