O País – A verdade como notícia

Encerrada segunda base da Renamo em Muxúnguè

Hoje foi encerrada uma segunda base da Renamo, localizada em Muxúnguè, distrito de Chibabava, província de Sofala. Ao longo de 14 dias, 251 ex-combatentes (incluindo 7 familiares dos combatentes falecidos) passaram pelo processo de desarmamento e desmobilização e chegaram em segurança às suas famílias.

De acordo com um comunicado enviado à nossa redacção, a inspeção e encerramento da base de Muxúnguè esteve a cargo de membros do Grupo Técnico Conjunto para o DDR (GTCDDR) e do GTC para Monitorização e Verificação (GTCMV), juntamente com membros da equipa do Secretariado do Processo de Paz (PPS), peritos em desarmamento e um médico. Também estiveram presentes representantes do governo local e da PRM para salvaguardar a entrega da base e das armas bem como em todas as operações em Muxungwe.

O comunicado avança ainda de que o sentimento entre os ex-combatentes é de esperança e expectativa, uma vez que os ex-combatentes estão ansiosos por regressar às suas casas e iniciar um novo capítulo das suas vidas.
“O DDR não é uma tarefa fácil e os desafios são inevitáveis, contudo, o compromisso assumido de seguir em frente prevalece e, um factor importante, o encerramento da base de Muxúnguè assinala o marco de 10% (de Dondo e Muxungwe) do total de beneficiários que regressaram a casa (554 de 5.221).

Gostaríamos igualmente de manifestar o nosso reconhecimento pelos esforços incansáveis das partes, dos grupos de trabalho, dos representantes do governo local, dos serviços de segurança e dos líderes comunitários e do povo de Moçambique, que apoiam este processo de tantas formas”, afirma em comunicado o Enviado Pessoal do Secretário-Geral das Nações Unidas para Moçambique e Presidente do Grupo de Contacto, Mirko Manzoni.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos