O País – A verdade como notícia

Empréstimos bancários mais caros em Moçambique

Foto: O País

A partir de hoje, quem for ao banco pedir empréstimo vai ter de pagar mais em taxas de juros, isso em consequência da decisão do Banco de Moçambique, de aumentar a taxa de referência em 2%, de 13.25 para 15.25%.

É mais um impacto da guerra russo-ucraniana, a nível externo, e dos eventos climáticos extremos de que Moçambique tem sido vítima desde que o ano começou, a nível interno. Quando combinados, estes problemas pressionam o nível geral de preços a subir.

E foi assim no ano passado, em Janeiro, quando o Banco Central aumentou as taxas de juros de 10.25 para 13.25. na altura foi uma subida histórica. E agora, mais uma! O Comité de Política Monetária decidiu, hoje, subir de 13.25 para 15.25%.

O objectivo é, na verdade, garantir que, com o dinheiro mais caro, os moçambicanos tenham menos poder de compra e, daí, obviamente procurem menos. Com isso, os preços, seguindo a lei normal da economia, vão descer. É assim que se conterá o custo de vida, na visão do Banco de Moçambique. Isto é porque “a taxa de juro é a única variável que um Banco Central pode controlar, é assim em todo o mundo”, explicou Rogério Zandamela, em conferência de imprensa, depois do encontro do CPMO.

Mesmo assim, as previsões do custo de vida ainda mostram uma tendência de subida. Aliás, o Governador do Banco de Moçambique diz que os preços dos combustíveis, por exemplo, deviam ter subido mais para evitar que os países vizinhos venham comprar cá, por ser o mais barato da região e, com isso, usarem as nossas reservas. “Estamos a usar as nossas exíguas reservas para financiar outros países da região”. Zandamela diz ainda que se os preços dos combustíveis estivessem no nível internacional, “importaríamos menos e gastaríamos menos com compra de combustíveis”.

Sobre as reservas internacionais, dois dados importam destacar nas informações disponibilizadas esta quarta-feira pelo Banco de Moçambique. Primeiro: Moçambique não tem divisas na Rússia nem na Ucrânia e o país está em condições de fazer importações pelos próximos cinco meses, mesmo que não exportasse absolutamente nada até lá.

DÍVIDA INTERNA SUBIU DE DEZEMBRO ATÉ AQUI

Ainda hoje, o Banco de Moçambique anunciou que a dívida do Estado a nível interno aumentou, sem incluir os empréstimos, a prestação de serviços adiantada e o serviço da dívida. A subida foi de cerca de 22 mil milhões de Meticais, saindo de 220.6 para 242.3 mil milhões de Meticais, de Dezembro a Março corrente.

Recordando que o sector privado, ainda hoje reclamou do facto de o Estado não estar a pagar a dívida interna e, por isso, não estar a cooperar para uma mais rápida recuperação da actividade empresarial no país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos