O País – A verdade como notícia

Embarcação naufraga com 11 pessoas a bordo em Tete

Pelo menos uma pessoa foi dada como morta e cinco desaparecias, depois de a embarcação em que se encontravam ter naufragado, na passada sexta-feira, na albufeira do rio Zambeze, barragem de Cahora Bassa, em Tete, anunciou esta semana a porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM), Lurdes Ferreira, citada pela AIM.

Na altura do naufrágio a embarcação transportava 11 pessoas a bordo, incluindo um tripulante. As autoridades apontam como causas prováveis, o mau tempo que se fazia sentir na região, aliado a superlotação da embarcação, cuja capacidade é de apenas oito passageiros.

“Nas buscas, foram resgatadas cinco pessoas com vida. Outras cinco continuam desaparecidas. Também foi encontrado um corpo sem vida de uma mulher”, explicou a porta-voz da PRM, em conferência de imprensa havida, esta segunda-feira, na cidade de Tete.
“Os passageiros que até ao momento são dados como desaparecidos são um menor de um ano de idade, uma mulher, um aluno e dois agentes da Polícia Lacustre e Fluvial, que estavam em missão de serviço”, explicou a fonte.

Na altura do acidente, a embarcação transportava os passageiros do distrito do Zumbo ao de Mágoe.

“Ainda decorrem as buscas para a localização dos passageiros desaparecidos”, disse a fonte. É a primeira vez que ocorre um naufrágio na albufeira de Cahora Bassa no corrente ano.

Recentemente, o Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, manifestou a sua preocupação com o elevado número de naufrágios reportados anualmente em Moçambique.

Segundo Mesquita, pelo menos 58 naufrágios foram reportados em Moçambique, em 2017, que resultaram em 155 mortos e 77 desaparecidos.

Já no ano anterior, segundo Mesquita, foram registados 64 naufrágios que causaram 208 mortes e 20 desaparecidos.

Mesquita descreve o actual cenário como sendo um quadro bastante desolador.

Por isso, ordenou para a retirada de circulação das embarcações que não reúnam condições para o transporte seguro de pessoas e bens.

Exige ainda a introdução de melhorias no mecanismo da fiscalização da lotação das embarcações, bem como a habilitação das tripulações.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos