O País – A verdade como notícia

EDM investe USD 60.5 milhões para melhorar qualidade de energia

Pouco mais de 60.5 milhões de dólares norte-americanos estão a ser investidos na melhoria da qualidade da energia eléctrica nas províncias de Maputo (zona sul do país), Manica e Tete (centro) e Cabo Delgado (norte), escreve a Agência de Informação de Moçambique (AIM).

Em quase todas as províncias, os trabalhos incluem a expansão das redes de transporte e distribuição de energia eléctrica, o que permite a ligação de novos consumidores, de acordo com Electricidade de Moçambique (EDM), citada pela AIM. Alberto Banze, director-geral de distribuição na empresa pública, garantiu que embora as obras estejam em curso, os clientes começam a sentir as mudanças.

Ao nível da província de Maputo decorre um projecto de reforço da rede avaliado em 25 milhões de dólares norte-americanos, que consiste na construção de 42 quilómetros de linhas de média tensão, 164 quilómetros de baixa e instalação de 146 postos de transformação de energia eléctrica.

Na Matola, província de Maputo, (região sul do país), as operações abrangem os bairros de expansão, como Muhalaze, Boquisso e Mali, onde serão ligados, ainda este ano, cerca de 50 mil novas instalações, com destaque para residências.

Foram já montados cinco quilómetros de linha de média tensão e 20 quilómetros de baixa tensão no Boquisso e Mali, segundo a fonte, havendo movimentos para a celebração de contratos e ligações.

Do lado da Cidade de Maputo, Banze destacou a finalização da construção da subestação número 11 no bairro da Costa do Sol, junto à Estrada Circular. A infra-estrutura tem capacidade de 30 mega volts ampere (MVA) e vai abastecer aquela zona, que regista uma explosão de crescimento, bem como Albazine, Magoanine e Zimpeto. Vai incluir Guava, Mateque e Jafar que pertencem a Marracuene.

Banze disse também que a EDM acaba de reconstruir a linha Infulene-Boane, uma operação que visava conferir segurança e fiabilidade no transporte da corrente para este distrito.

Está também concluída a construção da subestação de Khongolote, com a qual se conta para a expansão da energia para bairros da Matola, que há anos clamam pelo recurso.

Questionado sobre o impacto destas obras, a fonte da Electricidade de Moçambique, citada pela Agência de Informação de Moçambique, disse que vão minimizar as queixas dos cidadãos ainda não abrangidos e de baixa qualidade por parte dos que já estão da rede. Contudo, acrescentou a fonte que os ganhos só serão duradouros, se os beneficiários garantirem a segurança das infra-estruturas e combaterem implacavelmente as ligações clandestinas e roubos de energia.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos