O País – A verdade como notícia

Edição 2020 da Feira do Livro de Maputo arranca esta quinta-feira

Logo da Feira do Livro de Maputo

Durante três dias, a Feira do Livro de Maputo volta a juntar autores, editores e leitores. Entretanto, este ano, por causa da pandemia, as sessões serão emitidas através das plataformas digitais. Nesta edição, a escritora homenageada é Paulina Chiziane.

 

O mês de Outubro é dos Nobel e, localmente, da Feira do Livro de Maputo. Por isso mesmo, quando forem 15h05 desta quinta-feira, no Átrio do Paços do Município, Grande Homem irá tocar melodias acústicas como que a introduzir os apreciadores de literatura a mais uma edição da Feira do Livro de Maputo. 10 minutos depois, irão iniciar uma série de discursos proferidos pelo Presidente do Conselho Municipal de Maputo, pelo representante dos centros culturais da capital, pelo Embaixador da França e pela Ministra da Cultura e Turismo – este último acontecerá depois da actriz Ana Magaia ler excertos da obra de Paulina Chiziane. Esta sessão formal poderá ser acompanhada em directo pela plataforma ZOOM e através dos Facebook do Conselho Municipal e da Feira do Livro de Maputo.

Também em directo a partir do Átrio do Paços do Município, será projectada uma visita virtual à exposição de livros e a centros culturais. Só depois disso seguirá a palestra inaugural desta edição, num momento protagonizado pela professora da Universidade de Brasília, Regina Dalcastagnè, moderada por Nelson Lineu. A palestra vai durar 80 minutos.

A primeira mesa literária está prevista para 18 horas, e estará subordinado ao tema “Cartografias literárias, mobilidades virtuais e alteridades”, juntado Paulina Chiziane, Eurídice Monteiro (Cabo Verde), Hélder Simbad (Angola), Marília Miranda Lopes (Portugal), Luís Cardoso (Timor-Leste), Ana Manso (Espanha) e Jessemusse Cacinda, como moderador.

Já no dia seguinte, sexta-feira, entre as 13h30 e as 14h, o público virtual terá nas referidas plataformas digitais a performance com base na obra de Calane da Silva, para público infanto-juvenil, em formato de poesia, teatro e canto. Ainda a pensar nas crianças, a actriz Eunice Mandlate apresentará uma narração de contos.

O grande momento da Feira do Livro estará reservada à homenagem à escritora Paulina Chiziane, numa sessão a realizar-se entre 15 e 17 horas de sexta-feira. Mas o dia não irá terminará por aí, afinal numa sessão moderada por Eduardo Quive, Armando Artur, Lopito Feijóo (Angola), Ana Elisa Ribeiro (Brasil), Sara Jona e Marcela Rosales (Argentina) discutirão sobre “Dialécticas literárias em tempos de crise: que ideias para o futuro?”.

No último dia da Feira, às 11 horas, Eneas Comiche irá proceder à entrega de prémios aos vencedores dos concursos literários de poesia e prosa das escolas. Já à tarde, a partir das 14h, Cristina Taquelim (Portugal), Gilberto Milice (Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa), e Alda Moreira (UCLLA) debaterão o tema “Formação de novos leitores a partir da animação de leitura”. De igual modo, Lucílio Manjate, Kátia Casimiro (Guiné-Bissau), Jarid Arraes (Brasil) e Rogério Manjate, às 16h, propõem-se a conversar sobre o tema “Literaturas de língua portuguesa pós-COVID: desafios e perspectivas”.

Antes de a Feira encerrar, Ana Mafalda Leite, Tony Tcheka (Guiné-Bissau), Esteve Bosch de Jaureguízar (Espanha), Cri Essencia, Danny Spínola (Cabo Verde) e João Nuno Azambuja (Portugal) irão reflectir sobre o tema “Literatura e resistência: para uma história do possível”, na última mesa literária desta edição.

Este ano, a Feira do Livro de Maputo decorre sob o lema “(re)pensar a criação literária em tempos da pandemia”.

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos