O País – A verdade como notícia

ECA encerra ano académico com espectáculo de ópera

A fim de encerrar o ano académico 2018, a Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) organiza “Opera Mwango e Mwanga a partir de Bastien und Bastienne”, de W. A. Mozart. O espectáculo que junta no palco estudantes e professores, artistas daquela instituição de ensino superior, vai realizar-se quinta-feira, a partir das 18h, no Centro Cultural da UEM, na cidade de Maputo.

Esta é a primeira vez que, segundo Venâncio Calisto, encenador do espectáculo, se realiza uma ópera de Mozart no país. “O que nos faz escolhe-lo é a sua qualidade, temporalidade e universalidade. Mozart marcou tanto a humanidade com a sua obra que é uma oportunidade de ampliar horizontes dos estudantes da ECA que estão a ter a oportunidade de fazer o espectáculo”, entende Calisto.

De igual modo, os organizadores desta ópera pretendem mostrar ao público moçambicano as valências dos estudantes da ECA, colocando-os a interagir com os seus docentes. Os mais implicados no espectáculo são professores e estudantes dos cursos de Música e de Teatro.

Neste espectáculo à moda Mozart, os artistas moçambicanos adaptaram muitas coisas, como os espaços e o contexto: “Fizemos adptação onomástica e geográfica da ópera de Mozart, o que implicou transformar os nomes Bastien und Bastienne para Mwango e Mwanga. Além disso, em termos geográficos a cena que se passa originalmente numa aldeia europeia passou a desenrolar-se numa aldeia de Cabo Delgado, onde fomos buscar os nomes Mwango e Mwanga”.

O espectáculo da ECA vai durar 50 minutos. No evento, os cantores vão cantar em alemão e os actores farão diálogos em português, usando a linguagem corporal, movimento e dança.

Mais de 40 pessoas estão envolvidas no espectáculo, entre actores, músicos e equipa técnica. Desse universo, os artistas principais são Horácio Guiamba (Mwango), Joana Balango (Mwanga), Dadivo José (Nyanga) e Josefina Massango (Senhora da Palhota Grande). A Coordenação-Geral do espectáculo é de Vítor Gonçalves; Direcção de Produção foi confiada a Fernando Macamo; Feliciano de Castro é o mastro; Cenografia, figurino e adereços estão na responsabilidade de Sara Graça e a preparação vocal tem direcção de Stela Mendonça.

“Esperamos que este concerto sirva para colocar o nosso público em contacto com o clássico. É importante que conheçamos os clássicos porque contribuem para a nossa formação artística. Muitas vezes as pessoas dizem que os clássicos são europeus. Não. São da humanidade”, afirmou Venâncio Calisto.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos