O País – A verdade como notícia

“É preciso ter amor antes de desenhar na madeira’’

A criatividade é parte importante do seu trabalho. Explora culturas e tradições através da arte. É com sabedoria e destreza que Maurício Matumbo consegue distinguir-se no seu meio de trabalho. Conheça a história do escultor que se destaca pela sabedoria e pela habilidade no seu trabalho. Aliás, vamos conhecer a arte através de uma personagem referencial.

A expressão facial transporta-o para os tempos da sua juventude. Tem 40 anos de idade, 21 dos quais dedicados à arte. Não qualquer arte, a arte maconde.

A arte dos maconde é multiforme, como na maioria dos povos, mas é conhecida internacionalmente pela escultura em madeira. A região de onde os maconde são originários – nordeste de Moçambique e sudeste da Tanzânia – é conhecida também pela música e dança. É parte das suas origens.

Nasceu em Cabo Delgado e aprendeu a trabalhar a madeira na Tanzânia, influenciado por primos e amigos. No princípio, era apenas ajudante, mas começou a pegar jeito para a arte e viu a necessidade de se auto-sustentar, trabalhando com variedades de madeira para dar corpo a expressões silenciosas das suas esculturas.

O senhor Maurício trabalha a madeira com o objectivo de dar significado às suas obras. A inspiração parece vir das boas companhias que tem onde trabalha. “A inspiração para os nossos desenhos surge através de ideias dadas aqui. Os amigos ajudam bastante”, conta.

Das suas mãos, saem grandes obras, não só pelo tamanho, mas também pelo preço. Entretanto, ali, os preços das esculturas variam. Dos mais baixos aos mais altos. Encontrámos uma obra que custa 800 mil meticais. Sim, isso mesmo! E ninguém melhor que o senhor Maurício para justificar o seu valor, afinal, foram necessários três anos para esculpir e dar vida à escultura.

“É feita de um material muito raro em Maputo, o pau-preto. Trouxemos de Cabo Delgado e foram precisos três anos para a materialização da obra. Expressa a união entre as pessoas, a necessidade de todo o mundo dever ajudar o próximo”, explicou.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos