O País – A verdade como notícia

Duo da frente deu “tchau” definitivo?

A jogar, a mandar e a marcar, os pupilos de Nelson Santos muito cedo demonstraram que estavam em dia grande, não dando espaço aos nampulenses para veleidades. E como os golos vieram cedo – aos 5 e 10 minutos – pela atitude submissa dos visitantes em contraste com a dos donos da casa, que poderiam ter dilatado o marcador, as atenções viraram-se para o Chimoio.

E aí? O Textáfrica, um dos campeões dos altos e baixos nesta competição, começou por dar o sinal forte de que os “galões” do campeão, mesmo a jogar em casa, não lhe criavam tremedeiras. O golo aos 10 minutos, por Osvaldo foi o aviso. Mas o campeão tinha Siamunda em tarde sim e pronto para conferir alegria e fazer crescer as esperanças na renovação do título.

Contraste entre os dois jogos, foi o facto de o Songo ter as bancadas repletas, enquanto na Machava acontecia o inverso.

Festa na Liga

Nenhum deles deverá chegar ao título, provavelmente porque, à partida, se posicionaram como candidatos ao meio da tabela. No despique deste mundo, futebol para sonharem com mais altos voos, ficou demonstrado que ambos têm.

A Liga de Maputo acabou vencendo o Chibuto por duas bolas, mas não espantaria se os números espelhassem o contrário. O controlo foi dividido, as oportunidades idem. Ficou patente que num jogo em que ambos técnicos, “ratos da área” que são, e que conheciam a maior parte dos jogadores, só se poderia resultar num duelo táctico e técnico, bem acima da maioria das pelejas nesta competição.

Canário: estás a piar tarde!

Num terreno em que os resultados e as exibições têm originado protestos dos adeptos, o canário, apesar da margem mínima pela qual venceu o Ferroviário de Nacala, demonstrou que a boa forma tardou, mas está aí. Tomando conta do jogo, demonstrando que sabe o que quer e como quer. Bem gostariam os adeptos que a competição estivesse no arranque.

Em contraste, os maxacas parecem atravessar um período complicado. A par do Textáfrica, eles vão-se apresentando com exibições e resultados a roçar os extremos. O muito bom e o muito mau. É verdade que foram jogar à casa do adversário, mas o Sporting de Nampula, último classificado, não tinha tido, ao longo das rondas anteriores, oportunidade para marcar tantos tentos num jogo.

Nas outras duas partidas, os resultados não fugiram às previsões, a começar pelo empate entre o 1.o de Maio e a turma do Xinavane, bem como a vitória suada do Desportivo de Nacala diante da ENH. O Ferroviário da Beira, sacudiu a poeira das exibições pálidas e foi a Manica surpreender a Universidade Pedagógica.

Paragem não vai esfriar?

A competição vai sofrer uma paragem para dar lugar aos jogos das meias-finais da Taça de Moçambique e às competições africanas dos Mambas, que defrontam a Namíbia para a jornada dupla de qualificação ao CAN-2019, que terá lugar nos Camarões.

Pelo calendário, a jornada do reatamento não promete trazer grandes mexidas, uma vez que as pelejas são entre turmas com ambições diferentes. Depois dessa ronda, se não houver surpresas, os três grandes blocos já terão clareza sobre o futuro que lhes espera.

Resultados da 26ª jornada do Moçambola

Costa do Sol Maputo            1-0    Ferroviário de Nacala
Sporting de Nampula             4-2   Maxaquene Maputo
UP de Chimoio                     0-2    Ferroviário da Beira
Desportivo de Nacal              2-0    ENH FC de Vilankulo
União Desportiva de Songo    2-1    Textáfrica Chimoio
Ferroviário Maputo                2-0    Ferroviário de Nampula
Liga Desportiva de Maputo    2-0    Clube de Chibuto
Incomáti Xinavane                 1-1    Primeiro de Maio de Quelimane

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos