O País – A verdade como notícia

Dos mais de 200 funcionários testados no HCM alguns acusaram positivo para a COVID-19

Um pouco por todo país chegam relatos de médicos na linha da frente que lutam contra a COVID-19 que são infectados pela gripe viral. O Hospital Central de Maputo (HCM) não foge à regra. A maior unidade sanitária do país tem um centro de trânsito para acolher doentes vítimas da COVID-19.

Alguns dos seus funcionários testaram positivo para o novo Coronavírus. Trata-se de médicos, enfermeiros, pessoal serventuário e administrativos. Entretanto, o Director do Hospital diz que a situação está controlável. Mouzinho Saíde falando para o jornal “O País”.

“Temos feito rastreio no seio dos trabalhadores, para além de equipamento de protecção individual que o ministério da saúde da aos trabalhadores. Actualmente nós já testamos mais de 200 trabalhadores e continuamente estamos a testar.

Devemos reconhecer que a infecção pela COVID-19, não só é intra-hospitalar, também pode ser na comunidade. Há alguns trabalhadores que podem ter problemas e esses que possam ter problemas são devidamente acompanhados, fazem isolamento como todos os outros e felizmente dentro do hospital estamos a conseguir controlar correctamente com o uso de equipamentos de prevenção individual adequado para a prevenção da doença, então a situação do hospital está controlável, temos equipamentos, temos profissionais qualificados e treinados e estamos a fazer o seguimentos dos doentes que são apresentados a nossa unidade sanitária”, disse Mouzinho Saíde.

Devido aos efeitos da pandemia da COVID-19, o Banco de sangue do Hospital Central de Maputo está a enfrentar a falta de sangue para salvar vidas. A escassez do líquido vital está a influenciar negativamente a execução de cirurgias marcadas e outras intervenções que necessitem de sangue.

“Nesta época a doação de sangue reduziu substancialmente isso faz com que haja diminuição dos stocks de sangue. Na última semana tivemos a recolha de trezentas unidades de sangue”.

Mouzinho Saíde disse ainda que as cirurgias de urgências são atendidas mesmo com esta situação da redução de doações do sangue. O apelo é renovado para os dadores para que afluam massivamente a unidade sanitária e doem sangue.

O Director do Hospital Central de Maputo recebeu esta terça-feira 16 mil garrafas de água mineral doada pela Sociedade Águas de Moçambique.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos