O País – A verdade como notícia

Dos desastres naturais ao combate do novo Coronavírus

Comités locais de gestão de riscos e calamidades de Fakazissa, distrito de Magude, província de Maputo, foram capacitados em matéria de prevenção e combate ao novo Coronavírus pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades. Os membros receberam, ainda, kits.

Chamam-lhes comités locais de gestão de riscos e calamidades. Compostos, na sua maioria, por pessoas influentes nas comunidades, eles são os difusores de mensagens que estão relacionadas com os desastres naturais seca e cheias cujo objectivo é minimizar seus impactos na sociedade.

Numa altura em que a preocupação maior não chega a ser, necessariamente, os desastres naturais, mas sim o novo coronavírus, os comités são chamados a se reinventar no combate a esta pandemia. Por ser um fenómeno recente, foram capacitados em matérias de prevenção dessa doença.

“O surto da COVID-19 é, em si, uma calamidade no âmbito médico, mas que está prevista na lei de gestão de calamidades”, afirmou Sarah Matches, do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades, explicando que “através deste grupo que está sendo capacidade (o comité) há informação sobre medidas de prevenção e cuidados básicos para combater esta pandemia que devem ser acautelados pelas comunidades”.

E é pelas comunidades, os membros do comité locais de gestão de riscos e desastres prometem fazem chegar seus ensinamentos aos outros como forma de evitar que o vírus chegue aos povoados e se espalhe.

“Aprendemos que para nos prevenirmos no novo coronavírus devemos lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou cinza, usar o álcool para desinfecção das mãos e que sempre que sairmos de casa, independentemente do local para onde vamos, devemos usar a máscara”, resumiu em poucas palavras, André Chongo, um dos membros do comité de gestão de riscos e calamidades.

Depois de apreendidas estas lições, só falta coloca-las em prática e nem sempre é fácil. “Aprendemos muitas coisas e poderemos ensinar aos outros, alguns dos quais, ainda não acreditavam que esta doença fosse realidade. Quando eu pedisse que usassem a máscara, diziam que eu era ultrapassada, mas hoje (actualmente) virou um imperativo”, revelou Marta Chongo, também membro do comité local de gestão de riscos e calamidades.

Além da capacitação sobre o combate à pandemia, o comitê recebeu do Instituto Nacional de Nacional de Gestão de Calamidades kits com material de prevenção do novo coronavírus.  Até ao momento, distrito de Magude ainda não tem nenhum caso confirmado do novo coronavírus.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos