O País – A verdade como notícia

Donaldo Machava falha pódio mas foi melhor estrangeiros em Luanda

O atleta moçambicano participou, sábado passado, da 65ª edição da tradicional Corrida São Silvestre de Luanda, em representação do nosso país, e não conseguiu estar no seu melhor dia para tentar alcançar os lugares cimeiros da prova. Com o tempo de 33 minutos e 19 segundos percorridos em 10 quilómetros, Machava terminou na 17ª posição, sendo, ainda assim, o melhor fundista estrangeiro que participou na prova de Angola.

Diferente de outras épocas com participantes de distintas nacionalidades, os fundistas estrangeiros falharam a subida ao pódio, que foi totalmente dominada pelos angolanos, em ambos os sexos.

Em masculinos, David Elias, com tempo de 31 minutos e 07 segundos, foi o grande vencedor da prova, tal como Ernestina Paulino, em femininos, que percorreu os 10 quilómetros com o tempo de 35 minutos e 31 segundos.

O pódio masculino ficou preenchido pelos atletas do 1º de Agosto, Avelino Sangahali, em segundo com 31 minutos e 15 segundos, e do Interclube, Alexandre João, em terceiro, a 14 segundos do segundo.

No sector feminino, o segundo lugar ficou para Adelaide Machado, com tempo de 37 minutos e 43 segundos, enquanto Josefina Baptista terminou a 25 segundos do segundo.

Para além de Donaldo Machava, que terminou como o melhor estrangeiro na corrida, outros destaques foram para o gambiano Saikois Camara, em 24º lugar, e o queniano Isaiah Momanyi, que terminou no 26º posto, isso em masculinos, enquanto em femininos as melhores atletas estrangeiras foram a gambiana Nyima Camara, em quinto, e a queniana Daisy Kipsuguty, em oitavo lugar.

A última vez que a competição teve participação e conquista dos estrangeiros foi em 2018, quando o queniano Mokua Nyandusi se sagrou campeão em masculinos, e a etíope Beyanesh Ayele, em femininos.

Desde a primeira edição da corrida de São Silvestre de Luanda, em 1954, nenhum moçambicano logrou conquistar a prova, sendo que os etíopes são os maiores vencedores com mais de 15 conquistas, seguidos pelos quenianos que já venceram por sete ocasiões.

A prova decorrida no sábado devia ter tido lugar a 31 de Dezembro de 2021, mas, devido a questões da COVID-19, que, na altura, provocou uma paralisação de algumas actividades desportivas em Angola.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos