O País – A verdade como notícia

Dívidas ocultas: Moçambique processa proprietário da Privinvest

Moçambique está a processar o franco-libanês Iskandar Safa, proprietário da Privinvest, o grupo empresarial envolvido nas dívidas ocultas.

A acção de responsabilidade civil foi apresentada na quinta-feira no tribunal comercial da Suprema Corte de Justiça de Londres pelo Peters & Peters Solicitors LLP, o escritório contratado pelo governo para o caso.

Moçambique está a processar Iskandar Safa por fraude, uma infracção que terá cometido no negócio fraudulento em que a Privinvest aparece como fornecedora de bens e serviços às empresas moçambicanas ProIndicus, EMATUM e MAM.

Bilionário de origem franco libanês, Iskandar Safa é director executivo e fundador da Privinvest, um grupo empresarial que inclui uma construtora naval baseada nos Emirados Árabes Unidos.

A acção contra Iskandar Safa segue-se a uma outra aberta em Fevereiro deste na capital do Reino Unido, na qual o Estado moçambicano pede indeminização a oito entidades empresariais ligadas ao Privinvest e ao Credit Suisse, o banco credor das chamadas dívidas ocultas.

Além de empresas, a acção movida pela Procuradoria-geral da República visa também os antigos dirigentes do grupo Credit Suisse envolvidos nas dívidas ocultas, nomeadamente Surjan Singh, Detelina Subeva e Andrew Pearse. Estes dois últimos já confessaram perante a justiça dos Estados Unidos da América terem recebido subornos para aprovar os empréstimos das empresas moçambicanas.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos