O País – A verdade como notícia

Dia de decisões na Engen Maputo Basket

Mais uma final, a quarta consecutiva na Engen Maputo Basket para o Ferroviário de Maputo. Mais um jogo de grande pressão e decisões, mais um jogo em que a cultura de vitória inerente ao clube Ferroviário de Maputo, prometem as atletas, estará patente.

Há, aliás, a confiança de acrescentar mais uma troféu do campeonato da cidade ao seu currículo e ao palmarés das “locomotivas” que este ano venceram todos os jogos diante do Costa do Sol.

E, porque todas as pedras são importantes para atacar o título, Deonilde Cuamba reforça a posição cinco, isto com enorme motivação depois de ter sido vice-campeã da segunda divisão em Portugal ao serviço do SIMEQ.

Vencer esta final será, na verdade, um factor motivacional para o Campeonato Nacional e para a fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores femininos. “Estamos a trabalhar que e para atingir o mesmo objectivo do Costa do Sol que é conquistar a prova. Vamos dar o nosso melhor para vencer o jogo”, prometeu Dulce Mabjaia, base do Ferroviário de Maputo.

Experimentada e com vários títulos no seu curriculum, Odélia Mafanela diz-se motivada para a grande final da Engen Maputo Basket. “O nosso objectivo é vencer a competição. As pessoas podem esperar um Ferroviário de Maputo um pouco diferente daquilo que estão habituados. Os dois últimos jogos do campeonato não nos saíram muito bem pois tivemos muitas dificuldades. Estamos a trabalhar no sentido de melhorar aquilo que foi a nossa prestação”, prometeu Mafanela.

Costa do Sol motivado

Motivado pelos jogos equilibradíssimos que tem feito frente ao Ferroviário de Maputo, o Costa do Sol não pensa noutra coisa senão mesmo na conquista da Engen Maputo Basket. Entendem as jogadoras que a equipa aprendeu a lição e não vai cometer os mesmos erros cometidos nos confrontos anteriores. A fasquia, aliás, e alta!

Não tivesse, nas últimas finais, levado a decisão dos títulos em disputa até ao extremo e conquistando, por exemplo, em 2017 a Taça Maputo. E, os nos “play-offs” da final da Engen Maputo Basket 2018, o jogo interior pode ser determinante.

“Estamos a trabalhar no sentido de superar aquilo que foram as derrotas anteriores para que tenhamos uma boa performance e ganharmos o Ferroviário de Maputo”.

Chambe refere, por outro lado, que “o nosso objectivo passa por ganhar o Campeonato da Cidade e o Campeonato Nacional”.

A poste diz que o grupo de trabalho ira procurar "transportar aquilo que foi a experiência do passado para estes jogos onde será importante não cometermos os mesmos erros cometidos no passado”.

Denise Ernesto, base, tem se afirmado como pensadora do ataque do Costa do Sol, tendo nos últimos jogos sido a aposta no cinco ideal.  “Podem esperar um Costa do Sol que vai querer fazer bons jogos. Podem esperar um Costa do Sol que parte para esta final com uma melhor atitude em relação a outros jogos. O Costa do Sol está a aprender com os erros que procura melhor a sua forma de joga e se apresentar em campo”, prometeu Denise Ernesto.

Outra jogadora desta posição que faz fé numa resposta das finalistas vencidas do ano passado no Campeonato da Cidade é Aquila Mucubaquire. “Digamos que o trabalho esta a ser feito colectivamente. Todas nos queremos a mesma coisa: queremos ganhar. Particularmente, cada uma está a dar o máximo de si para que isto seja possível. Estaremos sempre animadas. Temos esperanças porque trabalhamos para isso”.

Plantéis:

Ferroviário de Maputo:          

Elizabeth Pereira

Deolinda Gimo

Ingvild Mucauro

Rute Muianga

Ana Suzana Jaime

Dulce Mabjaia

Anabela Cossa

Deonilde Cuamba

Odélia Mafanela

Cecília Henriques

Delma Zita

Costa do Sol:

Denise Ernesto

Shelsea Rafael

Fátima Paquira

Karina Mariamo

Filomena Micato

Iliana Ventura

Aquila Mucubaquire

Bernardete Cuamba

Ilda Chambe

Ornília Mulhui

Regina Maoche

Rosa Cossa

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos