O País – A verdade como notícia

Detido na Beira suposto assassino da própria esposa

Na madrugada da última sexta-feira, na cidade da Beira, uma jovem de 32 anos de idade, mãe de quatro filhos, foi violentamente espancada com recurso a um ferro. Acto atribuído ao seu próprio esposo, com quem em vida convivia.

A agressão, que ocorreu no bairro da Manga, foi cruel, que antes de perder a vida, a mulher tivera um membro inferior e outro superior quebrados.
Segundo a Polícia, depois de agredir a esposa, na mesma madrugada o suposto criminoso fugiu para a cidade de Maputo, tendo retornado à Beira na noite da última segunda-feira, para, alegadamente, entregar-se às autoridades. Mas teria sido detido logo na entrada à cidade. Ontem, segunda-feira, o homem foi apresentado à imprensa.

“Encontrei a minha esposa numa noite, bebendo e conversando com um jovem vizinho, dentro do quintal da nossa casa. Não gostei e chamei atenção aos dois.

Pediram-me desculpas e julguei que estava tudo resolvido. Na sexta-feira em causa, saí para um encontro com uns amigos e regressei à casa pouco depois da meia-noite e, para minha surpresa, a minha esposa estava de novo com o mesmo jovem a beberem no mesmo sítio. Fiquei irritado e, apossado de ciúmes, agredi o jovem. A minha esposa saiu em defesa do mesmo. Facto que me deixou bastante irritado e peguei num ferro, comecei a bater nela, sem intenção de feri-la ou matá-la”, contou o suposto assassino.

Ele acrescentou que quando viu a esposa ferida, saiu em busca de socorro, mas os vizinhos e familiares da mesma, irritados, pretendiam linchá-lo.

“Quando saí a busca de socorro, a minha esposa ainda estava viva. Não sei como ela morreu. Eu fugi, porque concluí que os meus vizinhos pretendiam agredir-me. Viajei para Maputo donde fiquei surpreendido, através das redes sociais, com a notícia da morte dela. Falei com familiares e amigos e todos aconselharam-me a regressar e entregar-me à polícia. Foi o que fiz. Mas o advogado da família, com quem falei, entrou em coordenação com a polícia e fui detido quando estava a descer do autocarro. Estou muito arrependido e já sinto muita falta da minha esposa”, lamentou o suposto criminoso.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos