O País – A verdade como notícia

Mambas sobem um lugar no ranking da FIFA

A selecção nacional de futebol, os Mambas, subiu apenas um lugar no ranking da Federação Internacional de Futebol (FIFA). A actualização foi feita esta quinta-feira

Mambas sobem um lugar no ranking da FIFA

A selecção nacional de futebol, os Mambas, subiu apenas um lugar no ranking da Federação Internacional de Futebol (FIFA). A actualização foi feita esta quinta-feira

As equipas angolanas apuradas para a Liga dos Clubes Campeões e Taça da Confederação Africana de Futebol que tenham dívidas com jogadores e treinadores não poderão disputar a competição, soube-se de fonte da Federação Angolana de Futebol (FAF).

O Jornal de Angola escreve que de acordo com a CAF, citada pela entidade reitora da modalidade, as federações devem garantir que os clubes envolvidos nas competições africanas não tenham nenhum caso de dívidas em atraso para evitar quaisquer sanções.

O candidato à prova da CAF de 2022/2023 deve provar que não tem dívidas vencidas decorrentes de actividades de transferências, salvo se até ao dia 31 de Março deste ano tiverem sido integralmente liquidados os diferidos por mútuo acordo com o credor ou estiverem sujeitos à litígio não manifestamente infundado, submetido à autoridade competente.

“O candidato deve provar que, em relação às obrigações contratuais com seus funcionários actuais e antigos (incluindo todos os jogadores profissionais de acordo com os regulamentos de estatutos e transferência de jogadores), não tem dívidas vencidas para com funcionários e autoridades sociais fiscais, excepto se tenham sido integralmente liquidados os diferidos por mútuo acordo com o credor”, lê-se, no comunicado da FAF de 16 de Junho último, citado pelo Jornal de Angola.

Angola vai colocar duas equipas na fase da Liga dos Campeões, bem como outras duas na Taça CAF, também conhecida como Taça Nelson Mandela.

Moçambique tem até dia 23 deste mês, ou seja, daqui a três dias, para fazer inspecção e apresentar o Estádio Nacional do Zimpeto para acolher os jogos de qualificação ao CHAN-2023. Feizal Sidat, presidente da Federação Moçambicana de Futebol, garante que os Mambas vão defrontar Zâmbia no ENZ.

As eliminatórias para a fase final do CHAN-2023, que terá lugar na Argélia, arrancam em Julho próximo e os Mambas defrontam a Zâmbia em duas mãos. Mas a possibilidade de receber os Chipolopolo no Estádio Nacional do Zimpeto continua a ser uma incógnita, uma vez que ainda não foi inspecionado para consequente aprovação.

Na passada quinta-feira, a Confederação Africana de Futebol (CAF), comunicou as federações nacionais de todo continente que o prazo para a inspecção dos estádios que vão acolher os jogos da 1ª e 2ª eliminatórias do CAN-Interno é está quinta-feira ou seja, 23 de Junho.

Num comunicado, a CAF refere que “as federações nacionais participantes devem escolher o melhor estádio disponível no país que atenda aos requisitos de estádio da CAF para acolher jogos internacionais A, sendo que em caso de não ter nenhum campo aprovado, as mesmas “devem seleccionar o seu local de jogo de entre os estádios que constam na lista e comunicar ao Departamento de Licenciamento de Clubes da CAF a sua escolha preferida até 23 de Junho de 2022”.

A recomendação é que a inspecção seja feita pela comissão de licenciamento de cada uma das federações nacionais, e o relatório enviado à CAF, sem no entanto ser garantia de aprovação.

De acordo com a CAF, “caso um estádio do cada país não faça parte da lista, e essa federação desejar obter sua homologação para as eliminatórias da 1ª e 2ª jornada do Campeonato das Nações de África (CHAN) Argélia 2022, a essa mesma federação deve realizar uma pré-inspeção completa do estádio e enviar à CAF até 23 de Junho de 2022. A pré-inspecção do estádio exigida deve ser efectuada pelo Gestor de Licenciamento de Clubes da sua federação, e ser acompanhado da lista de verificação da CAF, fotos e vídeos de alta qualidade de cada área do estádio. Observe que, caso a qualidade do relatório de pré-inspecção do estádio não seja satisfatória, a CAF excluirá automaticamente o estádio de acolher os jogos”.

Para tal, todas as exigências devem ter sido ultrapassadas, sob pena da selecção que não tiver um campo aprovado jogar fora de portas, devendo para tal “enviar à CAF até 23 de Junho de 2022, o nome do local fora do seu território para acolher o seu jogo, juntamente com uma carta-acordo da federação do país onde o estádio está localizado”.

 

FMF E SED GARANTEM CAMPO PRONTO ATÉ FINAL DESTE MÊS

Mesmo sem falar da inspecção que a CAF exige para a aprovação do Estádio Nacional do Zimpeto e nem mesmo a data dessa inspecção, os órgãos que gerem o desporto moçambicano no geral, e o futebol em particular, garantem que o ENZ estará pronto até final deste mês para acolher o jogo com Zâmbia.

Feizal Sidat, presidente da Federação Moçambicana de Futebol, diz mesmo que o foco deve ser em terminar o que falta fazer, para que o recinto desportivo seja aprovado.

“O prazo é até ao final deste mês. Portanto, o jogo do CHAN com a Zâmbia é o próximo, assim sendo, temos que focar todas as atenções para que este recinto receba este jogo”, disse Feizal Sidat convicto.

Ademais, o presidente da Casa do Futebol diz estar satisfeito com o nível de reabilitação que foi feito  no Estádio Nacional  do Zimpeto, contrariamente ao nível  em que  se encontrava a alguns meses. “Estou satisfeito com o que vi. Há dois meses fizemos uma vistoria, estava desiludido, mas agora estou um mais confortável com aquilo que estou a ver”, disse realçando ainda que “penso que em duas semanas teremos o campo em condições mínimas para receber pelo menos o jogo do CHAN”.

Feizal Sidat diz estar ciente de que não é somente para o jogo com Zâmbia que deve se trabalhar para aprovação do Estádio Nacional, mas também para os próximos jogos, nomeadamente diante do Senegal, em Setembro próximo. “Sabemos que em Setembro vamos ter um jogo muito importante com o Senegal, a ideia da Federação é pedir uma abertura provisória para o jogo do CHAN e em Setembro fazermos uma abertura definitiva”, disse Sidat.

Quem também confirmou estarem criadas as condições para que o Estádio Nacional do Zimpeto acolha jogos dos Mambas é a Directora Geral do Fundo de Promoção Desportiva, Amélia Cabral, que refere que já foram terminados todos os trabalhos referentes a colocação e bom estado do relvado. “Agora falta garantirmos a boa manutenção e manter sempre o estado do relvado”, realçou Cabral.

A Directora do FPD esclareceu ainda que já estão em terminal a montagem dos torniquetes e o início da vedação do recinto do estádio, bem como da segurança dos jogadores “que são as três condições básicas para uma pré-aprovação do Estádio Nacional do Zimpeto”.

 

NÃO ESTÁ DESCARTADA POSSIBILIDADE DE JOGO FORA

Apesar de estarem criadas todas condições para os jogos dos Mambas, há ainda a questão da inspecção, que caso não seja feita até 23 deste mês, vai obrigar os Mambas a jogarem fora de portas.

Feizal Sidat está ciente disso e assume que caso isso venha a acontecer a África do Sul seria o país escolhido. Entretanto Sidat diz acreditar que não haverá espaço para isso, até porque “daquilo que vejo em muitos campos desta África dentro este estádio está em muitas boas condições do que outros e temos que estar optimistas de que o jogo do CHAN seja jogado aqui”.

O presidente da Federação Moçambicana de Futebol diz mesmo que ainda há tempo suficiente para que o recinto esteja pronto. “Temos 30 dias, de hoje até ao dia 24 de Julho, para nesse domingo, às 15h00, possamos receber a Zâmbia, em nossa casa”, frisou Feizal Sidat.

Feizal Sidat e Amélia Cabral, acompanhados pelo Secretário de Estado do Desporto, Gilberto Mendes, visitaram o Estádio Nacional do Zimpeto na passada sexta-feira.

Reinildo Mandava e Gildo Vilankulos, dois internacionais moçambicanos, que saíram da mesma escola, na cidade da Beira e que jogam na Europa, concretamente na Espanha e em Portugal, decidiram juntar forças e realizar um jogo solidário para ajudar os necessitados.

Os dois pretendem juntar os respectivos amigos, no activo e já na reserva, para uma partida de carácter solidário, a ter lugar no Caldeirão do Chiveve, no dia 26 de Junho corrente.

Através da partida solidária, denominada “Foot vida somos todos nós”, Reinildo Mandava e Gildo Vilankulo querem apoiar crianças desfavorecidas, não só da cidade da Beira como também de outras regiões, através da angariação de fundos de entrada ao palco do jogo, bem como os apoios que pretendem buscar dos parceiros e dos espectadores que se fizerem presentes no Caldeirão.

O anúncio deste jogo solidário foi feito através de um comunicado conjunto, divulgado esta quarta-feira, no qual referem que “se trata de uma cadeia de amor, de protecção, porque os tempos não foram fáceis, não estão melhores e os que se aproximam não permitem descanso”.

Reinildo Mandava, por exemplo, na sua página do Facebook, escreve que “não somos poucos, nunca seremos muitos” para justificar o que considerou “o maior jogo das nossas vidas”, mesmo para emprestar uma dimensão ao jogo em perspectiva.

Os dois jogadores estão de férias na cidade da Beira, sua terra natal, e decidiram juntar amigos para um jogo solidário a 26 de Junho, no Caldeirão do Chiveve. Para estes, os campeonatos, as competições, os pontos, os golos e os adversários não são mais importantes, senão “vida”.

Os dois atletas aproveitam o defeso europeu que termina ao fim deste mês em alguns clubes, para se equiparem em prol das crianças moçambicanas desfavorecidas com os seus amigos e angariar produtos não perecíveis, valores financeiros e outros para entregarem a instituições de caridade que lidam com crianças desfavorecidas, já que ainda estamos no mês da criança.

A iniciativa dos dois internacionais moçambicanos foi apresentada, quarta-feira, 15 de Junho, ao presidente do Conselho Municipal da Cidade da Beira, Albano Carige, que recebeu os dois craques no seu escritório de trabalho.

Recorde-se que se celebrou, a 01 de Junho, o Dia Internacional da Criança e, ontem, comemorou-se o Dia da Criança Africana.

Costa do Sol e Ferroviário de Maputo “A” protagonizam, sexta-feira, às 18h30, no pavilhão da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), o jogo de cartaz da 2ª jornada do Torneio de Abertura de basquetebol em seniores femininos.

Jogo de início de época, mas sempre susceptível a fortes emoções. Não fossem os intervenientes campeão e vice-campeão nacionais, duas formações que bipolarizam, há seis anos, o basquetebol sénior feminino no país.

Representantes do país na Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol, agendada para Dezembro, o Costa do Sol e o Ferroviário de Maputo “A” carregam consigo o peso de serem a espinha dorsal da selecção nacional.

Ainda em fase de procura de automatismos e melhor condição física, “canarinhas” e “locomotivas” batem-se no duelo entre duas equipas ambiciosas que apontam sempre para a conquista de todas as provas em que participam.

Na estreia, sexta-feira passada, o Ferroviário de Maputo “A” não teve dificuldades para vencer o seu satélite “B” por 85-32.

O Costa do Sol, esse, perdeu na secretaria. Ou seja, averbou uma falta de comparência no duelo com a A Politécnica pelo facto de ter utilizado irregularmente as atletas Ineide Chelene e Páscoa Matola. “É averbada falta de comparência à formação do Clube de Desportos do Costa do Sol em seniores femininos, dando vitória à formação do Clube A Politécnica.

De acordo com o artigo 710 do Regulamento da ABCM, “o jogador para disputar jogos oficiais ou particulares precisa de estar munido da respectiva carteira-licença e apenas poderá representar o clube nela indicado, pelo qual se encontra qualificado, salvo o caso previsto no artigo 44o deste regulamento. Admite-se, no entanto, que, em jogos, um clube autorize a alinhar por outro clube os jogadores que estão por si qualificados”, lê-se na nota da ABCM.

No capítulo desportivo e fora do plano de disciplina da Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo, a 2ª jornada do Torneio de Abertura começa a ser disputada sexta-feira. No pavilhão do Maxaquene, às 17h45, a equipa da casa mede forças com a Lazio em seniores femininos, em jogo também inserido na 2ª jornada da competição.

A Lazio perdeu na 1ª jornada diante do Desportivo Maputo, por 45-32, enquanto o Maxaquene ficou de fora devido ao número ímpar de equipas.

No sábado, no campo do Ferroviário, a equipa secundária “locomotiva” – Ferroviário B – joga com o Desportivo Maputo.

 

 SENIORES MASCULINOS ENTRAM EM CENA

Arranca, sexta-feira, o Torneio de Abertura de Basquetebol em seniores masculinos com a disputa de duas partidas. O Maxaquene “B” recebe, às 19h45, o Ferroviário de Maputo “B”, enquanto a A Politécnica terá pela frente, no seu pavilhão, o conjunto de Bravos do Norte. Estes jogos estão inseridos na 1ª jornada do grupo “A” desta prova que vai movimentar dez formações divididas em dois grupos.

Os escalões de formação também vão evoluir sábado e domingo, com a realização de partidas referentes à 3ª e 4ª jornadas do Torneio de Abertura em iniciados, juvenis e juniores em ambos os sexos.

Quadro de jogos:

Sexta-Feira:

Pavilhão do Maxaquene 

17h45

Maxaquene vs Lazio/seniores femininos

19h45

Maxaquene B vs Ferroviário A/seniores masculinos

 

Pavilhão da A Politécnica  

18h30

A Politécnica vs Bravos do Norte/ seniores masculinos

 

Pavilhão da UEM  

18h30

Costa do Sol vs Ferroviário A /seniores femininos

 

Campo do Ferroviário

Sábado:

13h00

Lazio vs Desportivo /juvenis femininos

14h30

Bela Rosa vs Ferroviário/juvenis femininos

16h00

Ferroviário B vs Desportivo /seniores femininos

 

 Pavilhão do Desportivo (Anexo)

13h00

Ferroviário A vs Desportivo/ Iniciados femininos

14h30

Maxaquene vs Ferroviário B/Iniciados femininos

16h00

Ferroviário A vs Costa do Sol / Iniciados masculinos

 

Domingo:

 

Campo do Ferroviário

8h00

Ferroviário B vs Lazio/juniores  femininos

9h30

Bela Rosa vs Ferroviário A /juniores femininos

11h00

Ferroviário vs Lazio/juniores masculinos

 

Pavilhão do Desportivo (Anexo) 

8h00

Ferroviário B vs Costa do Sol /iniciados masculinos

9h30

Maxaquene vs Bela Rosa /iniciados femininos

 

SELECÇÃO SÉNIOR MASCULINA DE BASQUETEBOL SEGUE HOJE PARA ANGOLA

A selecção nacional de basquetebol sénior masculino deixa, esta quinta-feira, Maputo com destino a Angola, onde, entre os dias 17 e 19 de Junho, vai disputar o Torneio Internacional de Benguela.

O conjunto orientado por “coach” Miguel Guambe parte para esta competição com o objectivo de rodar atletas, tendo em conta os compromissos no Afrocan, prova reservada aos jogadores que evoluem nos campeonatos internos e que qualifica para o próximo “Afrobasket”.

Ismael “Timo” Nurmamade Elves “Stam” Honwana são os grandes ausentes na selecção nacional de basquetebol, alegadamente por motivos académicos e lesão, respectivamente.

Os campeões nacionais pelo Ferroviário da Beira justificaram a ausência à Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB).

Moçambique estreia-se, sexta-feira, às 18h00, diante de Cabo Verde, numa partida a realizar-se no pavilhão Acácias Rubras.

Os cabo-verdianos foram os primeiros a chegar ao palco da competição, sendo que o seleccionador deste país, Emanuel Trovoada, diz que a prova é de todo importante para os conjuntos que vão dar corpo a si.

Em entrevista à Rádio 5 de Angola, Emanuel Trovoada frisou que a competição “servirá de antecâmara preparatória da sua selecção que, mesmo desfalcada, quer estar em grande na janela de Kigali, no Ruanda”.

Ainda a contar para a 1ª jornada do Torneio Internacional de Benguela, as  selecções principais e de sub-23 de Angola defrontam-se às 16h00.

Os angolanos preparam-se para a segunda janela de apuramento ao Mundial de basquetebol de 2023, prova a realizar-se de  27 de Junho a 5 de Julho próximo, na Costa do Marfim.

O Campeonato do Mundo de Basquetebol realiza-se em três países, nomeadamente Japão, Filipinas e Indonésia.

Entretanto, o chefe de departamento do Gabinete Provincial dos Desportos de Benguela, João Gabriel, assegurou à agência “Angop” estarem criadas todas as condições logísticas para que a prova decorra sem sobressaltos.

O responsável referiu que “a polícia, a rede hoteleira e os meios de transporte para as selecções de Angola, A e Sub-23, Cabo Verde e Moçambique estão em prontidão”.

Os jogos do Moçambola 2022 terão início às 14h00, uma medida da Liga Moçambicana de Futebol (LMF), que tem como objectivo permitir que os mesmos terminem mais cedo e à luz natural.

O  Moçambola 2022 retoma este fim-de-semana,  após um interregno de três semanas para dar lugar aos compromissos da selecção nacional de futebol na fase de qualificação ao CAN 2023.

Na retoma, já na estação de Inverno, a Liga Moçambicana de Futebol (LMF) vai alterar o horário do arranque dos jogos, passando para as 14h00, contrariamente ao período das 15h00 que se observou nas três primeiras jornadas.

Esta alteração visa garantir que os jogos terminem com  a luz natural, num cenário em que os campos elegíveis para o campeonato nacional de futebol não têm iluminação artificial.

Em comunicado, o organismo que gere o Moçambola refere que o Costa do Sol passa a fazer os seus jogos caseiros no Complexo Desportivo de Tchumene, na Matola, Província de Maputo.

Tal se deve ao facto de o campo do Clube de Desportos da Costa do Sol estar a ser reabilitado, com a substituição da relva sintética que já tinha 14 anos de utilização.

Aliás, a relva sintética implantada em 2008 já não tinha qualidade para o recinto continuar a acolher partidas, de tal forma que a Comissão de Licenciamento de Clubes da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) o chumbou.

As previsões apontam para 30 a 45 dias de obras de implantação do novo “tapete verde” no campo dos “canarinhos”.

Em relação ao Estádio da Machava, este recinto continuará a acolher o jogo da 4ª jornada, uma vez que houve melhorias em alguns pontos, segundo as recomendações da Comissão de Licenciamento de Clubes. O Ferroviário de Maputo tem um plano de remoção da actual relva sintética e implantação da natural, num processo que vai iniciar-se nos próximos tempos.

A direcção do clube já tem a cotação e vai iniciar o processo que, decerto, vai forçar os “locomotivas” da capital a identificarem um campo alternativo enquanto decorrem as obras.

Seja como for, a 4ª jornada do Moçambola 2022 começa a ser disputada no próximo sábado, com a realização de um jogo. O Costa do Sol recebe, no Complexo Desportivo de Tchumene, a formação do Ferroviário de Nampula, em Tchumene. Domingo, na conclusão desta jornada, Matchedje de Mocuba mede forças com o Ferroviário de Lichinga, enquanto a União Desportiva do Songo joga com o Ferroviário de Nacala.

Nas outras partidas, o Ferroviário de Maputo defronta, no Estádio da Machava, o campeão em título, Associação Black Bulls, e o Ferroviário da Beira joga com a Liga Desportiva de Maputo.

A União Desportiva do Songo lidera a prova com nove pontos, os mesmos que o Costa do Sol e Ferroviário de Nampula.

O seleccionador nacional de futebol, Chiquinho Conde, reconhece o valor dos “Bafana Bafana”, adversário dos Mambas nos quartos-de-final do Torneio Cosafa a realizar-se em Julho próximo, em Durban, África do Sul. Conde diz que os Mambas vão, acima de tudo, desfrutar desta partida.

Os dados estatísticos valem o que valem e os registos não são favoráveis aos Mambas no historial de confrontos com a África do Sul. Os números são tão claros: os sul-africanos venceram seis jogos, perderam um e empataram outro.

É, de resto, com o anfitrião e cinco vezes vencedor do torneio regional do Cosafa e cinco que os Mambas jogam acesso às meias-finais, em desafio agendado para o dia 13 de Julho. Ano passado, nas meias-finais, os Mambas caíram estrondosamente ao perderem por 3-0. Agora, o contexto é outro: a equipa técnica mudou e  os níveis de motivação estão em alta nos Mambas.

O seleccionador nacional, Chiquinho Conde, tem, ainda assim, consciência do valor dos “Bafana Bafana”.

“É um adversário difícil porque é o país que organiza o torneio. No passado recente, a nossa experiência com a África do Sul não tem sido boa, mas vamos inverter este cenário”, que só pode mudar se, efectivamente, os Mambas e toda a estrutura que os rodeia tiverem foco e trabalharem a todo o gás para que se alcance o sucesso.

“Mas, para inverter, temos que trabalhar e vamos tentar utilizar a semana de 4 a 10 para trabalharmos os aspectos da nossa ideia de jogo com o grupo com o qual já vínhamos a trabalhar aquando da paragem anterior do Moçambola, porque o jogo com a África do Sul é dia 13. Vamos ter que encarar este jogo com naturalidade  e desfrutar do momento”, acrescentou Conde.

É um facto: os Mambas vão jogar com os “Bafana Bafana” num período de defeso na Premier Soccer League (PSL), campeonato sul-africano de futebol. Bem vistas as coisas, a selecção nacional pode tirar vantagem, uma vez que o Moçambola está em andamento e os sul-africanos podem acusar falta de ritmo competitivo dado o facto de estarem em transição para a próxima temporada.

“Uma vez que se trata de um campeonato ou de jogadores que militam nas equipas sul-africanas, estarão, neste período, em defeso. Pela informação que nós temos, também são basicamente jogadores que militam nas equipas sul-africanas e algumas até de escalões mais baixos”, notou Chiquinho Conde.

Os Mambas chegaram à primeira final desta prova em 2008, tendo perdido diante da vizinha África do Sul por 2-1, com os dois tentos dos “Bafana Bafana” a serem apontados por Marcellino French (18’ e 60’). Gerson Txuma, avançado conhecido por Nito, foi o autor do golo de Moçambique.

Sete anos depois, Moçambique voltou a falhar a conquista da prova, ao perder, na final, frente à Namíbia por 2-0, com o avançado Hoto a bisar no jogo.

Durban sediará a competição pela segunda vez, depois de ter testemunhado a consagração da Zâmbia em 2019, ao ganhar, na final, o Botswana.

O internacional moçambicano de futebol de praia, Nelson, terminou a disputa do Euro Winners Cup 2022 em 7º lugar da lista dos melhores marcadores, com 8 golos apontados. Nelson marcou quatro dos oito jogos do Marselha na recém-terminada prova de futebol de praia da Europa.

Contratado para ajudar a equipa francesa a alcançar o seu objectivo – atingir os oitavos-de-final –, que tinha falhado em 2021, Nelson chegou ao Marselha Beach Team um dia antes do arranque da prova.

Aliás, com esse objectivo, o Marselha também levou o seleccionador nacional Abineiro Ussaca, que prometera levar a equipa aos oitavos-de-final, tendo os dois seguido no mesmo dia e chegado a um dia do início da competição.

Nelson chegou e tentou ajudar a equipa, mas, por causa do cansaço, não conseguiu evitar a derrota na jornada inaugural diante do Levante da Espanha, por 6-4, num jogo em que nem marcou.

Só ao segundo jogo, o internacional moçambicano começou a “partir a loiça” em Nazaré, Portugal, onde decorreu a prova, ao apontar um hat-trick e ajudar o Marselha a vencer por 4-3 diante do Sótão de Portugal. Nelson marcou o golo da vitória no prolongamento, já que o resultado estava empatado a três golos.

Na terceira jornada da fase regular, Nelson voltou a marcar dois golos, na vitória dos franceses diante do Vamos Manage da Bélgica por 6-1, conseguindo a almejada qualificação aos oitavos-de-final, onde esteve apenas em 2020.

Ao atingir o objectivo, esperava-se que continuasse a fazer história, passando, pela primeira vez, aos quartos-de-final, mas a derrota diante do Grande Mote da França por 7-4 não permitiu mais o sonho, o que fez com que passasse a disputar os lugares entre o 9º e o 16º lugar. Nelson apontou um golo insuficiente para dar os “quartos” ao Marselha.

Nessa disputa, a equipa francesa voltou a vergar, agora diante do Husty da Eslováquia, por 4-2, sem nenhum golo do moçambicano, sendo obrigado a disputar as posições entre os 13º e 16º lugares.

Para essa qualificação, defrontou o West Deva da Roménia e venceu-o por 6-3, com mais dois golos de Nelson, que ditaram segurança para discutir a sua melhor posição, a 13ª.

E foi diante do Newteam Brussels da Bélgica que o Marselha conseguiu terminar na 13ª posição, após vitória por 5-1, mesmo sem nenhuma contribuição de Nelson em termos de golos.

 

MELHOR POSIÇÃO DO MARSELHA NOS ÚLTIMOS CINCO ANOS

Terminada a prova que decorreu em Nazaré, Portugal, conquistada pelo Benfica Loures, que venceu, na final portuguesa, o Braga por 3-1, o Marselha terminou em 13º lugar, sua melhor posição nos últimos cinco anos.

Nesse período, a equipa francesa conseguiu qualificar-se aos oitavos-de-final apenas uma vez, em 2020, ano que terminou em 14ª lugar, após perder nos jogos das qualificações, enquanto nos restantes anos não conseguiu passar da fase regular.

Aliás, em 2017 o Marselha não chegou sequer a disputar a fase regular da prova, tendo terminado no Euro Winners Challenge, uma espécie de segunda divisão da prova, onde apenas o primeiro classificado disputa a fase final da prova.

Em 2018, 2019 e 2021, o Marselha terminou sempre em terceiro lugar da fase regular, fora dos lugares de qualificação aos oitavos-de-final.

Próximo ano, o Marselha vai disputar a fase final da Euro Winners Cup, a começar pela fase regular, uma prova que se perspectiva que volte a acontecer em Nazaré, Portugal.

 

RESULTADOS DO MARSELHA

Marselha      4-6     Levante da Espanha

Marselha      4-3     Sótão de Portugal

Marselha      6-1      Vamos Manage da Bélgica

Marselha      4-7     Grande Mote da França

Marselha      2-4     Husty da Eslováquia

Marselha      6-3     West Deva da Roménia

Marselha      5-1      Newteam Brussels da Bélgica

Marselha      3-2     Higicontrol

 

MELHORES MARCADORES

17 golos: Filip Filipov (Husty)

14 golos: Noël Ott (Kfar Qassem)

13 golos: Dejan Stankovic (Alanya Belediyespor)

12 golos: Filipe Silva (Braga)

10 golos: Eduard Suárez (Levante), Axel Damm (Copenhagen), Léo Martins (Braga)

8 golos: Jordan Oliveira (Pisa 2014), Nelson Manuel (Marseille BT), Bokinha (Spartak Varna), Netinho (West Deva), Duarte Vivo (ACD O Sótão), Sven Körner (Rostocker Robben), Sameh Moreb (Kfar Qassem)

7 golos: Daniel Valeš (Slavia Prague), Nicolae Ignat (Nistru Chișinău), Pablo Perez (Huelva), Marian Măciucă (Spartak Varna), Jérémy Bru (Marseille BT), Fran Mejías (Newteam Brussels), Benjamin Jr. (ACD O Sótão), Eudin (Alanya Belediyespor).

Leia Dongue vai jogar no Landerneau Bretagne Basket da França, depois de ter terminado contrato com o Kutxabank da Espanha.  A valorosa basquetebolista moçambicana assinou um contrato válido por uma temporada (2022-2023).

É o regresso a um lugar onde já foi feliz. Contrariando, certamente, os versos de quem não brilha na quadra, mas bem encanta noutros palcos: Rui Veloso.

Certo dia, o músico compôs e fez milhões delirarem com os seguintes versos: “Nunca voltes ao lugar/Onde já foste feliz/ Por muito que o coração diga/ Não faças o que ele diz”.

Podia não ter sido assim, mas o coração de Leia “Tanucha” Dongue orientou-a para que, uma época depois, regressasse à Ligue Feminin de Basket (LFB), uma liga em que, na temporada 2021-2022, deixou notas artísticas ao serviço do Nantes Rezé Basket, com médias de 13, 3 pontos e 6,1 ressaltos por jogo. Ouro sobre azul, Dongue teve, no clube, na sua primeira aventura pela França, a sua melhor valoração da carreira (30).

Com grandes memórias em termos desportivos, Landerneau Bretagne Basket foi campeão da Liga Francesa de Basquetebol da segunda divisão (LF2) da temporada 2017-2018.

O seu peso na LF2 faz com que do seu curriculum constem ainda os lugares no top 4, alcançados nas épocas 2016-2017 (3º lugar) e 2015-2016 (4º). A última temporada foi para esquecer, tal é o 11º lugar na fase regular de uma prova com 12 formações.

A nova equipa de “Tanucha” teve um saldo negativo de 17 derrotas e cinco vitórias, para além de um cesto-average de 1365 pontos marcados e 1630 sofridos.  Esta formação está na liga principal (LFB) há exactamente quatro temporadas.

A estreia da campeã africana de basquetebol de clubes pelo Desportivo Maputo e D’Agosto está prevista para o dia 2 de Outubro, diante do Lyon. Uma semana depois, precisamente dia 9, Leia Dongue volta a entrar em cena na 2ª jornada frente ao Bourges. Em desafio agendado para 16 de Outubro, Dongue terá pela frente o Saint Amand. A 23 e 30 de Outubro, a internacional basquetebolista moçambicana vai duelar com o Charnay.

“Graças à sua agressividade, ao seu impacto e à sua determinação, Leia poderá explodir na LFB [Liga Francesa de Basquetebol] novamente!”, escreve o Landerneau Bretagne Basket no seu sítio oficial, no qual dá as boas-vindas à internacional basquetebolista moçambicana.

 

PARCERIA INTELIGENTE COM EZINE KALU?

No Landerneau Bretagne Basket, Tanucha terá, como colega de equipa, a craque nigeriana Ezine Kalu, melhor jogadora (MVP) do Campeonato Africano de Basquetebol (Afrobasket) de 2019, prova realizada em Dakar, Senegal. As duas atletas fizeram parte do cinco ideal do Torneio Pré-Olímpico de Basquetebol da Sérvia, em 2020.

Leia Dongue e Ezine Kalu partilharam também o cinco ideal do Campeonato Africano de Basquetebol de 2019, em Dakar, Senegal. Nesta competição, Dongue apresentou uma média de 15,8 pontos e 7,2 ressaltos por jogo.

Já Ezine Kalu fechou a prova com média de  13 pontos, 3,2 assistências, 3 roubos de bola e 2,6 ressaltos por jogo, o que lhe conferiu uma eficiência de 12 %.

Kalu representou a selecção nigeriana no Torneio de Qualificação Olímpica da FIBA ​​de 2016. A base fez parte do “12” da Nigéria, que se sagrou campeã africana em 2017, no Mali, tendo obtido médias de 12 pontos e 3 assistências por jogo.

Há ainda registo de uma participação no Campeonato do Mundo da FIBA ​​de 2018, na Espanha, prova na qual terminou com médias de 10,6 pontos, 3 ressaltos e 4,1 assistências por jogo durante o torneio.

Em 2019, veio ao de cima todo o seu valor no “Afrobasket”. Explodiu, com grandes exibições, tendo, naturalmente, sido nomeada jogadora mais valiosa (MVP) com médias  de 14 pontos e 3 assistências na competição.

Kalu competiu ainda no Torneio de Qualificação Olímpica da FIBA ​​de 2020, com média de 16 pontos, 2,7 ressaltos e 4,3 assistências por jogo. Fez parte do cinco ideal do “pré-olímpico” disputado na Sérvia.

Ponto alto da carreira de qualquer desportista, Kalu também participou das Olimpíadas de Tóquio 2020, evento realizado em Julho de 2021.

A Nigéria quase fez história na prova ao  conseguir uma vantagem de 16 pontos no confronto com os EUA.

Em Setembro de 2021, Ezine Kalu voltou a ser campeã africana pela Nigéria numa prova disputada em Yaoundé, Camarões, na qual  obteve  médias de 12,4 pontos, 3 ressaltos  e 4,6 assistências por jogo. Com grandes exibições, Leia Dongue  foi indicada para o cinco ideal desta competição.

A selecção nacional de futebol, os Mambas, conhece, amanhã, os seus adversários para o torneio regional da Cosafa, prova que este ano se realiza na cidade sul-africana de Durban, entre 5 e 17 de Julho.

Esta será a XXI edição do Torneio Cosafa, que é disputado pelos países da região e mais uma convidada, para completar o número de selecções, bem como criar intercâmbios com outras regiões e selecções.

Assim, a organização marcou para amanhã o sorteio da prova, num acto a decorrer no Estádio Moses Mabhiba, na África do Sul. A prova inicia-se sempre com a fase regular de grupos, dividida em dois, onde as selecções piores cotadas no ranking da FIFA disputam os dois primeiros lugares que dão acesso aos quartos-de-final.

Entretanto, a selecção nacional de futebol, os Mambas, só entra em cena nos quartos-de-final da prova em função da sua posição no ranking da FIFA, bem como pela prestação na última edição, que terminou na quarta posição após a derrota diante de eSwatini, por 4-2 na marcação das grandes penalidades.

Tal como Moçambique, África do Sul, campeão em título, Zâmbia, Madagáscar, Namíbia e Senegal, esta última convidada especial pela segunda vez e vice-campeã regional, também vão entrar em acção directamente nos quartos-de-final por força do seu nível no ranking.

Estas seis selecções vão juntar-se aos vencedores dos grupos a serem criados para a fase regular, para disputarem os quartos-de-final, onde os vencidos jogarão entre si para a disputa dos lugares entre o 5º ao 8º colocado. Ou seja, estas selecções vão continuar em prova e usufruir de oportunidade para consolidar os seus índices competitivos.

Já os vencedores dos quartos-de-final vão disputar o pódio nas meias-finais.

Para esta competição, espera-se que o seleccionador nacional, Chiquinho Conde, aproveite para preparar a selecção que vai disputar as eliminatórias para o CHAN 2023, que terá lugar na Argélia. Os Mambas defrontam a Zâmbia na primeira eliminatória que se disputa a 23 e 30 de Julho.

Ou seja, poderão não estar presentes no torneio regional os jogadores que actuam fora de portas, até porque no entender dos organizadores do Torneio, a ocasião é também oportuna para as selecções aprimorarem-se para as eliminatórias do CHAN Argélia-2023.

+ LIDAS

Siga nos