O País – A verdade como notícia

Descargas eléctricas do Songo apontadas à “locomotiva” do Chiveve

O embate desta tarde entre as formações da União Desportiva de Songo e do Ferroviário da beira é de extrema importância para o futuro das duas equipas, embora com mais pressão para a turma de Chiquinho Conde, que lidera o Moçambola Zap, com 42 pontos. A diferença pontual entre os dois conjuntos já mostra claramente a intenção da turma de Songo em conquistar o título nacional, falhado ano passado, a favor deste mesmo Ferroviário da Beira, que curiosamente foi vencer em Songo para conquistar o título. 
Uma desforra por parte dos jogadores da União Desportiva de Songo, que perderam em casa, não só por uma bola sem resposta, mas também o título de 2016, é o que se espera nesta partida, também como forma de manter a diferença pontual e a distância para com o segundo classificado. Mas também a desforra pela derrota na primeira volta, no “Chiveve”, à tangente, será outra motivação para a turma de Chiquinho Conde. 
Mas ai está. O campeão nacional não está a atravessar um bom momento no campeonato nacional. Se na Liga dos Campeões faz uma campanha de luxo, no Moçambola Zap ainda não se acertou. Até ao fim da primeira volta, ocupava a 8ª posição com 20 pontos e, rodadas cinco jornadas desta segunda volta, fez apenas um jogo, no empate sem abertura de contagem, diante do Maxaquene, tendo descido para a 12ª posição, agora, com 21 pontos. Mas conta com quatro jogos em atraso e 12 pontos por discutir, nomeadamente com o Desportivo de Nacala e Costa do Sol, em casa, e UP de Lichinga e ENH de Vilankulo, fora de portas. 
Esta paragem de duas semanas terá servido para Rogério Gonçalves renovar energias e traçar a melhor estratégia para o que resta do campeonato, bem como harmonizar as ideias do novo treinador. Aliás, este é o primeiro grande teste de Rogério Gonçalves no comando dos “locomotivas” do Chiveve.
Costa do Sol espera desaire do líder
Na cola da União Desportiva de Songo está o Costa do Sol, que espera, nesta jornada, por um desaire da turma de Songo, para se aproximar da liderança. Os “canarinhos” de Nélson Santos recebem a Associação Desportiva de Macuácua, num jogo a ser transmitido em directo pela Stv Notícias. E em caso de vitória, o Costa do Sol pode reduzir a diferença pontual para dois pontos, podendo ainda ultrapassar a líder, caso vença o jogo que tem ainda por disputar, diante do Ferroviário da Beira.
Há 10 pontos da líder e 5 do segunda classificado está o Clube de Chibuto, que procura aproximar-se dos dois primeiros lugares ou então cimentar a sua actual posição, para depois tentar uma ultrapassagem nos jogos que ainda terá que fazer com estas duas equipas (UD Songo e Costa do Sol), em sua casa. Mas nesta jornada terá a visita do Chingale de Tete, uma equipa ao seu nível e que poderá vencer, com ou sem dificuldades, uma vez que os “canarinhos” de Tete estão em baixo de forma, embora a procura de reerguer-se na prova. Artur Semedo já recuachutou a equipa, agora é esperar para ver onde vai chegar este Chibuto. 
Por seu turno, o Textáfrica do Chimoio, outra equipa em franco crescimento, vai procurar fugir ainda mais dos lugares da despromoção, na recepção que vai fazer a Liga Desportiva de Maputo, equipa que trocou o treinador e que procura uma recuperação na tabela classificativa. Uma grande partida se espera neste jogo.

Deslocação difícil de Barrarrijo a Nacala
Quem anda de mal a pior é o Ferroviário de Maputo, que tem uma deslocação nada fácil a Nacala, onde defronta o seu homónimo local. Até ao fecho da primeira volta, o Ferroviário de Maputo era terceiro, com 27 pontos, e o seu homónimo de Nacala estava na 5ª posição, com 22 pontos. Decorridas cinco jornadas desta segunda volta, as posições inverteram-se, agora com os “locomotivas” de Nacala a subirem para a quarta posição, com 32 pontos, enquanto o seu adversário desceu para a quinta posição, tendo somado apenas 3 pontos, passando a ter 30 pontos. Uma derrota da turma de Maputo nesta jornada pode comprometer a continuidade de Lucas Barrarrijo e seus pares, pois a pressão vai aumentar, numa equipa que precisa, desesperadamente, de vitórias.
Finalmente, o Maxaquene, em franca recuperação na tabela classificativa, desloca-se a Lichinga, onde mede forças com a UP local, numa partida de difícil prognóstico. Aliás, os quatro pontos que separam estas duas equipas são prova clara das dificuldades que as duas equipas vão enfrentar neste jogo.
Facto mesmo, é que uma derrota da União Desportiva de Songo não vai tirar a liderança a turma de Chiquinho Conde e nem uma vitória, ainda que improvável, da Associação Desportiva de Macuácua, vai tirar a equipa da última posição.

ENH perde e compromete
A turma da ENH de Vilankulo, orientada por João Chissano, perdeu na recepção ao Desportivo de Nacala e compromete suas aspirações de chegar aos lugares cimeiros, para além de estar próximo da zona da despromoção. Os “canarinhos” de Nacala foram vencer por uma bola sem resposta e passaram da sexta posição para a quinta, agora com 31 pontos, contra os 25 do seu adversário de ontem. Aliás, o Desportivo de Nacala jogou os últimos minutos da primeira parte e toda segunda parte com menos um jogador, devido à expulsão de um jogador. Mas a turma de Antero Cambaco soube gerir a vitória que já trazia da primeira parte e fez por merecer os três pontos. O jogo inseria-se no arranque da 21.a jornada do Moçambola Zap 2017.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos