O País – A verdade como notícia

Delmar Gonçalves homenageado em Portugal

Delmar Gonçalves, escritor, fundador e Presidente da Direcção do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora (CEMD), foi homenageado este sábado (2), na primeira gala de homenagem e entrega de prémios da lusofonia, no auditório Rui de Carvalho, em Carnaxide, Lisboa.

Para além da homenagem, Delmar Gonçalves recebeu o Prémio da Lusofonia em Literatura 2017, pelos altos serviços que presta pela cultura de Moçambique em Portugal. “Para mim a homenagem é o reconhecimento do meu trabalho na literatura e pelo que tenho feito em Portugal e pela cultura moçambicana”, disse Gonçalves.

O evento foi promovido pela Associação Solidária Meninos Graúdos, em parceria com a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa – UCCLA e a Confederação Empresarial da CPLP, com o propósito de homenagear e premiar carreiras artísticas de figuras da comunidade lusófona que se têm destacado nos domínios da música, do jornalismo, do teatro, da literatura, da moda e das artes em geral, levando e elevando a língua portuguesa nos cantos mais recônditos do mundo". 
Segundo a organização, “o evento pretende realçar o papel de algumas das mulheres e dos homens que melhor representam essa vontade incontrolada de tornar mais competitiva e mais atractiva a imagem da lusofonia em todo o mundo”.

Foram também premiadas e homenageadas figuras, tais como a cantora Celina Pereira, de Cabo Verde, o actor Rui de Carvalho, de Portugal, o embaixador Lauro Moreira, do Brasil, de Angola, o jornalista Gabriel Baget e o poeta Lopito Feijó, o escritor Mário Máximo, de Portugal, o investigador e o escritor Luís Costa, de Timor, entre outras personalidades das artes e do universo de língua portuguesa.

Histórico
Delmar Francisco Maia Barrigas Gonçalves nasceu em Quelimane, província da Zambézia. Nas suas obras usa pseudónimos como Sultan El-Ahmed, Ibn Khan, Zacarias Faztudo e Malfez. 
Publicou obras como “Moçambique Novo, o Enigma”, “Moçambiquizando”, “Afrozambeziando Ninfas e Deusas”, “Mestiço de Corpo Inteiro” e “Entre dois rios com margens”. 

O escritor destacou-se como divulgador da literatura moçambicana no estrageiro, organizando recitais de poesia moçambicana, publicando obras de autores moçambicanos que vivem em Moçambique e no estrageiro, promove distinções de moçambicanos nos prémios que vão surgindo em Portugal e Brasil, convida moçambicanos a publicarem nas edições CEMD (Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora) e na Editorial Minerva. “Faço sempre questão de indicar autores moçambicanos”, afirmou Gonçalves.

Venceu vários prémios em nome de Moçambique como o Ferreira de Castro, Karingana wa Karingana, La Atrevida, CEMD e FEMINA. Em 2006, ganhou o galardão de Literatura África Today, e, em 2008, o prémio Kanimambo da Casa de Moçambique.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos