O País – A verdade como notícia

Degradação de estrada afecta rede viária em mais de 700 km em Morrumbala

Com uma rede viária de 1.312 quilómetros, cerca de 700  não estão transitáveis no distrito de Morrumbala região localizada a sul da província da Zambézia. Com as últimas enxurradas que fustigaram aquela parcela do país os 50 quilómetros do troço Zero, a vila-sede distrital, ficaram totalmente degradados condicionando o trânsito de veículos, pessoas e dificultando o escoamento de produtos agrícolas.
 
Com a passagem da depressão tropical no mês de Março deste ano, a degradação das vias de acesso pioraram o seu estado. E porque não está acontecer manutenção de rotina na via, a qualquer momento o trânsito de Zero a Morrumbala poderá estar encerrada se continuar a degradação na via.
 
Rui Semo Director distrital dos serviços de infra-estrutura de Morrumbala contou que todas as dificuldades são do domínio do governo e que no entanto a breve trecho uma empreitada estará no terreno para trabalhos necessários. "Estamos a chegar na localidade de Chire de forma condicionada e porque esta a cair chuva a situação poderá estar ainda mais complicada. Mas porque já foram contratados empreiteiros a situação poderá melhorar.  
 
Semo reconhece que Morrumbala está a conhecer piores momentos em termos de transitabilidade, mas culpa camiões de grande tonelagem que fazem escoamento de produtos e danificam as várias vias de acesso. "Na vila-sede estamos com algum conforto em termos de transitabilidade, temos cerca de doze quilómetros de rua que serão intervencionados, mas é bem verdade que estamos a nos debater com o crónico problema de erosão" disse Rui Semo para melhorar a base dos solos seria a melhor solução.
 
Para os efeitos Rui diz que só na vila sede precisa-se de cerca dez milhões de meticais para aplicar na intervenção das vias.    
 
Na via que liga Zero a Morrumbala os efeitos do crónico problema de erosão também são visíveis. As viaturas passam por muitas dificuldades. Edgar Chuse um automobilista que estava a viajar de zero a vila-sede contou que a sua viatura teria de ir a manutenção devido aos embates que a mesma estava a ter durante o percurso. "Não justifica esta situação. Isso mexe com a economia do distrito encarecendo o custo de vida. Os automobilistas degradam as suas viaturas e a população deve pagar a factura na provisão dos serviços" disse.
 
Pedro Nota um líder comunitário explicou que as vias ao nível do distrito estão a três anos que não são feitas a manutenção. Nota diz que o governo deve trabalhar as vias do distrito para minorar o sofrimento da população no escoamento dos produtos agrícolas.
 
Neste momento percorrer os 50 quilómetros de estrada Zero a Morrumbala é possível em cerca de 2horas e meia dado ao estágio da via mas com viatura de tracção a quatro rodas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos