O País – A verdade como notícia

De Lichinga emergem sinais de novos tempos

O Ferroviário de Lichinga derrotou o seu homónimo de Nampula, por duas a bolas sem concorrência, em jogo pontuável para a 17.ª jornada do Moçambola. Com este triunfo, os “locomotivas” de Lichinga ocupam a terceira posição da tabela classificativa, com 31 pontos.

Os ventos continuam a soprar do Planalto dos Matacas, com um Ferroviário de Lichinga que, de jornada a jornada, vai espalhando a fragrância do seu futebol, consubstanciado por resultados satisfatórios. O Ferroviário de Lichinga, de Antoninho Muchanga e Arnaldo Ouana, constitui, neste momento, a equipa sensação do Moçambola.

Com o triunfo da sexta-feira frente ao Ferroviário de Nampula, os únicos representantes da província de Niassa, na maior prova futebolística nacional, somaram a segunda vitória consecutiva no campeonato, depois de, na jornada anterior, terem recebido e derrotado o Incomáti de Xinavane, por 2-1.

Se por um lado os “locomotivas” de Lichinga têm motivos para soltar sorrisos largos, por outro já não se pode dizer o mesmo em relação ao Ferroviário de Nampula, que não tem conseguido ser regular na prova, ainda que Nelson Santos tenha imprimido uma nova dinâmica na forma de ser e estar da sua equipa. Na próxima jornada, o Ferroviário de Lichinga recebe a Associação Desportiva de Vilankulo, enquanto a equipa de Nelson Santos terá uma deslocação difícil à Beira para defrontar o Ferroviário local.

Depois de, na jornada passada ter conseguido uma vitória a escopo e martelo sobre a Liga Desportiva de Maputo, por 1-0, o Ferroviário da Beira voltou a vencer, desta feita, diante do Incomáti de Xinavane, também por uma bola sem resposta. Fruto desse resultado, os “locomotivas” do Chiveve mantêm a perseguição à Associação Black Bulls na tabela classificativa, somando agora 36 pontos, menos quatro que os “touros”.

Na abertura da jornada 17, a Liga Desportiva de Maputo fez as pazes com a sua massa associativa, ao receber e vencer sem muitas dificuldades ao desesperado Desportivo Maputo, por 2-0, numa partida em que os donos da casa foram dominadores, ante um adversário que, mais uma vez, voltou a mostrar muita descrença em campo.  

Na jornada que se segue, a Liga Desportiva de Maputo desloca-se a Xinavane para defrontar o Incomáti, conjunto que, depois de perder na presente ronda, certamente que se irá apresentar algo transfigurado, tendo em vista mudar o actual quadro negro de resultados e, por via disso, distanciar-se cada vez mais da zona de despromoção. Por sua vez, o Desportivo Maputo irá medir forças com o Ferroviário de Nacala, num jogo em que se antevê um desfecho imprevisível, ainda que os treinados de Artur Macassar teoricamente levem alguma vantagem.

INSUFICIÊNCIA DE ENERGIA EM SONGO

A União Desportiva do Songo (UDS) foi surpreendida em casa, ao perder diante do Ferroviário de Nacala por 1-2, resultado que certamente não estava nas contas dos “hidroéctricos”, que, na ronda anterior, consentiram um empate a uma bola frente ao Desportivo Maputo. Há três jogos em que a equipa orientada por Caló não vence.

Com este resultado, a UDS mantém-se na quarta posição, com 30 pontos. Sob comando técnico de Artur Macassar, o Ferroviário de Nacala continua na senda de bons resultados. Ainda assim, os “locomotivas” da cidade portuária de Nacala ainda estão longe dos lugares de topo da tabela classificativa, ocupando, neste momento, a nona posição, com 21 pontos.

Na próxima jornada, a União Desportiva do Songo irá medir forças com a Associação Black Bulls, equipa que, na presente ronda, não foi para além de uma igualdade sem abertura de contagem diante do Ferroviário da Beira.

Naquele que era o dérbi do centro, o Matchedje de Mocuba suplantou o Textáfrica por duas bolas sem concorrência, resultado que serviu para os “militares” fugirem da última posição para penúltima, agora com 10 pontos. Sérgio Faife Matsolo continua sem achar a varinha mágica para tirar os primeiros campeões de Moçambique independente da zona de sufoco, somando oito pontos na última posição.

Já o Costa do Sol, de jornada em jornada, vai amealhando empates. Na presente ronda, os treinados de Artur Semedo foram ao terreno da Associação Desportiva de Vilankulo arrancar mais um empate, desta feita, a uma bola. Este é, por sinal, o terceiro empate consecutivo na era pós-Artur, Comboio. Ou seja, desde que Artur Semedo assumiu o comando técnico do Costa do Sol, os “canarinhos” apenas venceram uma partida. Na 18.ª jornada, o Costa do Sol recebe o Matchedje de Mocuba, partida em que a pressão recai sobre os “canarinhos”, que continuam longe dos lugares que lhe permitam revalidar o título.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos