O País – A verdade como notícia

Chume considera preocupante situação em Niassa e nega presença de terroristas em Nampula

Foto: O País

A situação em Niassa apresenta-se como preocupante e há sinais evidentes da presença dos terroristas, disse ontem o ministro da Defesa Nacional, durante um encontro, na Cidade de Maputo, com o seu homólogo do Botswana. Na ocasião, Cristóvão Chume negou a presença de terroristas em Nampula.

O Ministro da Defesa Nacional, Cristóvão Chume, recebeu, na tarde desta segunda-feira, o ministro da Defesa, Justiça e Segurança do Botswana, Thomas Mmusi. Na ocasião, os governantes fizeram balanço da cooperação entre os dois países.

O primeiro ataque na província de Niassa ocorreu a 28 de Novembro, contra a aldeia Naulala, e o segundo a 9 de Dezembro, no mesmo distrito de Mecula; os preços de bens e serviços nas aldeias e troços de estrada atacados dispararam, chegando até cinco vezes mais alto que os praticados anteriormente. Apesar da presença significativa das Forças de Defesa e Segurança, continua a registar-se saída massiva da população, sobretudo nas áreas próximas às aldeias atacadas, muitas delas já abandonadas.

“A situação em Niassa apresenta-se como preocupante e há sinais evidentes da presença dos terroristas, mas a nossa está nesse momento em perseguição dos grupos e acreditamos que, nos próximos dias, teremos sinais positivos referentes aos últimos ataques na província”, disse o ministro da Defesa Nacional.

Cristóvão Chume garantiu que os trabalhos para o combate ao terrorismo continuam a ser levados a cabo, tendo anunciado que as Forças de Defesa e Segurança tomaram a base sede dos terroristas e abateram 10 insurgentes durante o conflito directo.

“Antontem, 19 de Dezembro de 2021, Forças de Defesa e Segurança e da SAMIM assaltaram uma base dos terroristas, tendo abatido 10 terroristas e, neste momento, decorrem operações de limpeza. Devo referir que é nesta base onde se localizava Obin Omar e recuperamos senhoras que trabalhavam em apoio aos terroristas em Macomia”, disse o governante.

O ministro da Defesa Nacional negou a existência de terroristas em Nampula e afirmou que desconhece o documento do Governo americano que dá conta de que Moçambique não tem um plano de acção para combater o terrorismo em Cabo Delgado.

O ministro da Defesa, Justiça e Segurança do Botswana vai deslocar-se esta terça-feira à província de Cabo Delgado para avaliar o trabalho que está a ser realizado pelas forças destacadas.

“Daqui, nós vamos à província de Cabo Delgado para visitar os soldados, ver o que eles estão a fazer, como vocês que estão podem perceber. Também vamos a Cabo Delgado para ver se o trabalho do Ministério de Defesa está a ajudar no progresso da SAMIM e dos militares que actuam em Cabo Delgado”, disse o ministro da Defesa, Justiça e Segurança do Botswana, Thomas Mmusi.

O relatório da missão considera um sucesso a actuação do bloco regional em Moçambique e desde o envio de tropas, a missão tem registado consideráveis progressos, recuperando territórios em algumas regiões, trabalho este que devolve a esperança na reconstrução das infra-estruturas destruídas pelos terroristas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos