O País – A verdade como notícia

Inicia em Março construção do sistema para diminuir crise de água em Pemba

A crise de água que assola a cidade de Pemba, capital da província de Cabo Delgado, pode reduzir-se no fim de 2022, com a conclusão da reabilitação e ampliação do actual sistema que abastece menos da metade dos mais de 250 mil habitantes.

Previsto para iniciar em Março próximo, o projecto, avaliado em 38 milhões de dólares norte-americanos, foi lançado na sexta-feira passada, pelo ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine.

Prevê-se a construção de uma nova estação de tratamento de água com capacidade para a produção de 35 mil metros cúbicos, contra os actuais 15 mil; ampliação da rede de distribuição, de 250 para 383 quilómetros de extensão; entre outras acções.

Quando o sistema entrar em funcionamento, a cobertura do abastecimento do precioso líquido vai aumentar de 54 para 80 por cento.

O fundo para a obra foi desembolsado pelo Governo moçambicano e pelo Banco Mundial, no dia 12 de Fevereiro corrente. O facto foi confirmado por João Machatine.

O ministro explicou que sistema cuja edificação está prestes a iniciar faz parte de “um programa mais amplo que, para além de Pemba”, abrange “as cidades da Beira, de Dondo, Tete, Moatize e Nacala”, num montante de “cerca de 165 milhões de dólares”.

Ademais, o Governo espera reduzir as perdas de água devido a ropturas nas condutas, bem como por conta das ligações clandestinas.

“Hoje, na cidade de Pemba, temos perdas na ordem de 50 por cento, razão pela qual este projecto contempla a reabilitação da rede e a sua expansão. Isso vai permitir reduzir as perdas para 30 por cento”, afirmou o governante.

João Machatine reconheceu que a meta que se pretende atingir na redução de desperdício “ainda não é satisfatória, mas é um passo positivo. Acreditamos que com o envolvimento de todos podemos reduzir ainda mais, se tivermos em conta que uma das causas é o nosso comportamento”.

Além de Pemba, o Executivo prevê ainda, durante este mandato, resolver definitivamente o problema da falta de água no planalto de Mueda, no norte de Cabo Delgado, onde a população enfrenta uma crise há vários anos.

Machatine garantiu haver um estudo no sentido  de “optimizar o rio Muera em Mueda” para eliminar a crise no acesso ao precioso líquido. “Há um empreiteiro que já foi mobilizado para melhorar os serviços de abastecimento de água, mas também há negociações num estágio muito avançado com a Índia, no sentido de financiar um sistema mais integrado, robusto e definitivo para o planalto [de Mueda]”.

O actual sistema de fornecimento de água na cidade de Pemba compreende cerca de 382 quilómetros de extensão e abastece cerca de 120 mil habitantes, durante seis horas por dia. Com a conclusão das obras, a água será abastecida 16 horas por dia.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos