O País – A verdade como notícia

Cri Essencia leva-nos “Em Busca do Mar Certo”

Foi lançado, hoje, no Camões – Centro Cultural Português, o livro “Em Busca do Mar Certo” de Cri Essencia. Trata-se, na verdade, de um livro que já está na prateleira pública, todavia em outra língua, Inglês; "In Search Of An Accepting Sea" foi apresentado a dois anos na Casa de Moçambique em UK. E desta vez veio com a estampa da língua portuguesa e chama-se “Em Busca do Mar Certo”.

A ansiedade era muito visível no aspecto dos participantes da cerimónia. Todos tinham já visto o livro, em Inglês, e aguardando-o com muita ansia e curiosidade na língua portuguesa. Aliás, em algumas linhas fica-se com a impressão de se estar perante uma obra biografia; aquilo que se chama auto-ficção.

Neste livro questões como feitiçaria (moçambicana e africana), conflitos familiares são colocadas frente-a-frente com outras realidades do mundo. Esses são apenas alguns problemas retratados de vários. Todavia, o aspecto que pode bem resumir a maior parte do livro é o de choque cultural. É um livro que procura entender levantar perguntas e inquietações sobre como as pessoas reagem quando colocadas num universo diferente do seu.

Este livro, outrossim, segundo a autora, descreve o percurso de uma mulher ilegal mas com boa conduta idónea, que após a morte da mãe, ainda que sem dinheiro para continuar com os estudos, decidiu não voltar para Moçambique. Preferiu navegar por marés desconhecidas, em busca do pico mais alto da existência. Sabia que voltar para casa era um dado adquirido, mas tencionava adiar tal regresso, para que não tivesse de se confrontar com o irmão, na luta pela herança que a mãe deixara.

A autora disse no acto do lançamento que o livro “fala de uma estudante que se chama Paula que passa por Portugal, Holanda e tantos países. Trata de problemas familiares que essa estudante teve no seu país de origem (Moçambique) antes de viajar. São problemas ligados à sua mãe, uma comerciante informal no início da abertura do mercado nos noventa”.

Por seu lado, o apresentador do livro, Cristiano Matsinhe (docente da Universidade Eduardo Mondlane), começou a sua intervenção mostrando preferência pela capa inglês, porque a versão portuguesa parecia-se mais com uma obra infanto-juvenil.

“Este livro cabe a todos e pode ser lido por diversas gerações. Vale pela possibilidade ser atrativo por várias gerações. É preciso uma grande dose de ousadia e confiança para escrever uma obra quase semi-biográfica no auge da carreira estudantil”.

Cri Essencia, segundo o Cristiano, conta a sua história. Cri Essencia nasceu em Maputo e estudou na Escola Secundária Francisco Manyanga. Jurista pela Universidade de Lisboa e realizou um Mestrado pela University of Groningen. Atualmente vive e trabalha em Londres.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos