O País – A verdade como notícia

COVID-19: sector de Saúde prorroga prazo de vacinação massiva até próximo sábado

Foto: O País

A direcção de Saúde da Cidade de Maputo prorrogou até sábado o prazo para administração da segunda dose da vacina contra a COVID-19, com vista a abranger mais de 45 mil munícipes que não tomaram o imunizante no período estipulado.

Um universo de 296.016 pessoas já tomaram pelo menos uma dose da vacina contra a COVID-19, na capital do país. Como forma de abranger mais pessoas, a cidade de Maputo prorrogou o prazo por mais dois dias, para tentar vacinar mais 45.720 munícipes em falta. Segundo o Serviço de Saúde da Cidade de Maputo, aqueles que não puderem tomar a segunda dose até hoje, sexta-feira, poderão dirigir-se às sedes distritais de saúde, nomeadamente, Centros de Saúde de Mahlangalene, Xipamanine, 1°de Maio, 1 de Junho, Bagamoio, Catembe e Inhaca até amanhã, sábado.

“Temos ainda um remanescente de cidadãos que não tomaram as duas doses e temos de continuar a vacinar. Neste momento, estamos a administrar a vacina da Verocell que tem um intervalo de 21 dias entre a primeira e a segunda doses e tem também o espaçamento de mais uma semana para a realização do imunizante. Queremos, desde já, informar que os que não puderam vacinar antes podem tomar agora”, disse Vanda Zita, médica-chefe a nível da cidade de Maputo.

Com o calendário a necessitar de arranjos para abranger os utentes que não conseguiram completar o processo de imunização no período de 14 dias, o Serviço de Saúde da Cidade de Maputo apelou às pessoas para aderirem à vacinação.

“Nós tivemos uma aderência bastante significativa, mas o feriado desta semana significou muito para este número prevalecer. Vamos estender até ao sábado para ver se conseguimos alcançar os ganhos e, na mesma senda, queremos apelar a todos para completarem o processo de vacinação para o bem de todos”, acrescentou.

Por sua vez, os munícipes que já vacinaram dizem estar satisfeitos com a toma da segunda dose e apelam aos outros para completarem a vacinação.

“Sinto-me realizada ao tomar a segunda dose, sinto-me mais protegida, até agora não tenho nenhum efeito colateral e, por isso, peço aos outros para virem terminar a vacinação”, exortou Sara Levange.

Samuel Silvestre, que também tomou a segunda dose, afirmou que “esta é a oportunidade para os moçambicanos mostrarem responsabilidades nos seus actos, porque, no fim de tudo, as vacinas vêm para salvar o mundo”.

De acordo com o Serviço de Saúde da Cidade de Maputo, é necessário completar o processo de imunização para evitar a propagação da COVID-19. Com apenas uma dose, os cidadãos ainda continuam muito vulneráveis ao vírus.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos