O País – A verdade como notícia

COVID-19 condiciona distribuição de subsídio às vítimas do Idai na Beira

Depois da passagem do ciclone Idai, em Março do ano passado, o governo  decidiu apoiar, através do Instituto Nacional de Acção Social (INAS),  parte das vítimas, as mais carenciadas, em Sofala. Foram registados na altura cerca de 74 mil pessoas, em 10 dos 13 distritos de Sofala, para receberam subsídios mensais de dois mil e quinhentos meticais, por seis meses.

18 meses depois finalmente os valores foram disponibilizados e os subsídios começaram a ser pagos na passada terça-feira,  em duas tranches, de 50 por cento cada.  A primeira deveria terminar no fim deste mês e a segunda tranche seria paga em data a ser anunciada oportunamente pelo INAS.

Infelizmente, o processo não foi pacífico pois surgiram centenas de “oportunistas”, a exigirem pagamentos, segundo disse Abusdul Razak, delegado do INAS em Sofala, e  os  beneficiários não estão a respeitar o distanciamento social, e acotovelam-se a busca de espaço para receberem os subsídios e ficou decidido que o processo deveria ser interrompido.

“Já tínhamos chamado atenção para só acorrerem aos postos de pagamentos os beneficiários inscritos. Estando num contexto da pandemia, sobretudo num Estado de Emergência, apelamos as pessoas para não se fazerem presentes em massa nos postos de pagamento. Infelizmente não é o que aconteceu e temos estado a ver aglomerados. Este facto pode de certa forma proporcionar a transmissão comunitária massiva do novo coronavírus. Por esta razão suspendemos temporariamente o pagamento, enquanto estudamos internamente o melhor mecanismo de fazermos chegar o apoio a quem esta inscrito com segurança”.

A interrupção dos pagamentos não agradou aos beneficiários que decidiram pedir explicações ao governador de Sofala. Amotinaram-se defronte do edifício do governo mas no local um forte contingente policial impediu o avanço dos mesmos.

Entretanto no fim desta tarde de ontem o governador de Sofala recebeu, na sua residência oficial, os representantes dos manifestantes, para clarificar o processo de atribuição de subsídios.

Ele explicou aos mesmos que os valores estão sob responsabilidade do INAS e que todos os inscritos receberiam os mesmos. Para ele o mais importante neste momento é garantir o distanciamento social para evitar a propagação da pandemia.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos