O País – A verdade como notícia

COVID-19: Cidade de Maputo com metas de vacinação massiva comprometidas

A cidade de Maputo já vacinou 130.578 pessoas contra a COVID-19 de um total de 219.233 previstas. Entretanto, até hoje, penúltimo dia do processo, havia transportadores que ainda não tinham sido vacinados, apesar de estarem no grupo prioritário e houve um posto de vacinação que não foi aberto, cenário que pode comprometer as metas traçadas.

O posto de vacinação do Estádio Nacional de Zimpeto abriu as portas pontualmente às 8 horas, os utentes entraram e agitaram-se durante a organização da fila, mas a necessidade de vacinar falava mais alto.

Olga Mondlane, seguindo as recomendações do Presidente da República, dirigiu-se ao posto de vacinação. “Eu segui os conselhos do Presidente sobre a necessidade de nos vacinar e também porque tenho a noção de que essa doença é mortífera”.

O cenário mudou no posto de vacinação do Campo Municipal do Zimpeto, onde, até às 10 horas desta terça-feira, permanecia com os portões encerrados e os utentes à espera, uns sentados no chão e outros em pé.

Armindo Munave foi àquele local e ficou sem saber o que fazer e o pior é que não dispunha de nenhuma informação quanto ao seu funcionamento. “Tudo encerrado, nenhuma informação tenho até agora, estou aqui à espera há vinte minutos, fiz questão de chegar cedo para ser atendido, mas nada.”

Bélia Chirinda, directora municipal de Saúde, explica as razões do não funcionamento daquele posto. “Como estratégia, a equipa que estava no Campo Municipal de Zimpeto, por não ter afluência dos utentes, acabou por se deslocar ao mercado grossista do Zimpeto, porque nós sabemos que podemos encontrar as pessoas do nosso grupo-alvo. É uma estratégia, tendo em conta que estamos nos últimos dias e queremos que mais pessoas sejam vacinadas”.

A falta de informação é uma das reclamações daqueles utentes, mas Bélia Chirinda garantiu que o problema seria resolvido apesar de ser complicado.

Alguns cobradores e motoristas do transporte semi-colectivo na cidade de Maputo ainda não foram vacinados, alegadamente devido às enchentes nos postos de vacinação e também porque não há mais vacinas. Aliás, um dos cobradores fechou a porta do “chapa” quando foi questionado por que ainda não tomou a vacina.

Para o Município de Maputo, essas alegações não constituem a verdade, porque houve brigadas móveis e fixas que foram aos terminais rodoviários da capital do país.

“Os poucos que não foram vacinados é porque estavam com pressa, por causa do trabalho em si, não queriam perder dinheiro. Nós conseguimos alcançar boa parte deste grupo-alvo, vacinámos mais de 100% e, por isso, acabámos por não voltar aos terminais de transporte. Neste momento, não temos falta de vacinas para esta campanha”.

Quanto às metas previstas para esta campanha de vacinação em massa contra a COVID-19, que arrancou a 4 do mês em curso e termina já no dia 18, Bélia Chirinda explica que não serão alcançadas as metas, mas destaca que o número já vacinado até a 16 de Agosto é um bom indicador.

A directora municipal de Saúde diz não haver ainda indicação da prorrogação da campanha de vacinação em massa contra a COVID-19. Espera-se que, esta quarta-feira, último dia da campanha de vacinação, as 56 brigadas constituídas possam registar alguma enchente.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos