O País – A verdade como notícia

COVID-19: Angónia em alerta máximo depois da reabertura da fronteira com Malawi

Localizado a 230 quilómetros da cidade de Tete, o distrito de Angónia ainda não registou casos positivos da Covid-19. Entretanto, as autoridades já estão em prontidão para atender possíveis cenários de contaminação, principalmente depois da reabertura da fronteira com o Malawi – país que conta com mais de 1000 casos – no passado sábado (dia 04).

“Temos 144 quilómetros de linha de fronteira que partilhamos com o vizinho Malawi, através de dois distritos, um dos quais já registou 20 casos positivos desta doença. Obedecendo a uma orientação do Governo Central reabrimos a fronteira depois de três meses em que esteve encerada. A cerimónia juntou as autoridades moçambicanas e do Malawi. No evento, deixamos uma mensagem clara de que a reabertura da fronteira era para viabilizar a movimentação de camiões com carga e não de passageiros. Sendo assim, todos os camionistas devem passar por um rastreio antes e depois de atravessar o nosso território, para aferir a sua condição de saúde. E porque do outro lado não há uso obrigatório de máscaras, tivemos que entrar em consensos para que não tenhamos contaminações durante os despachos conjuntos entre a nossa polícia e a polícia malawiana. Instamos a eles que durante esses processos usem máscaras e adoptem todas as medidas de segurança para que não passem o vírus para cá”, explicou Paulo Sebastião.

Paralelamente a isso, o governo distrital distribuiu mais de cinco mil máscaras a pessoas vulneráveis e as que trabalham em locais expostos ao risco de contaminação.

“Temos 38 brigadas móveis de sensibilização nas comunidades, além das máscaras já distribuímos mais de 1000 baldes com torneiras para a lavagem das mãos. Nessas acções temos priorizado os idosos, pessoas com deficiência e outros grupos vulneráveis. Porque é uma acção contínua decidimos através do Conselho Consultivo usar os reembolsos do FDD (Fundo de Desenvolvimento Distrital) para desenvolver acções tendentes a incrementar o fabrico de máscaras e compra de materiais para a sua produção”, terminou.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos