O País – A verdade como notícia

Nyusi nomeia 1ª mulher para ministro do Interior e Cristóvão Chume para Defesa

O Presidente da República nomeou, hoje, Cristóvão Chume e Arsénia Massingue para os cargos de ministros da Defesa e do Interior, respectivamente. Ainda hoje, Filipe Nyusi nomeou Constantino Bacela para o cargo de ministro na Presidência para Assuntos da Casa Civil.

As mexidas nas Forças de Defesa e Segurança já haviam sido anunciadas pelo Presidente da República e já começam a efectivar-se. Dias depois de ter exonerado Amade Miquidade e Jaime Neto, dos cargos de ministros de Interior e da Defesa, respectivamente, Filipe Nyusi nomeou novos titulares.

Depois de, no início deste mandato ter apostado num civil para a pasta da Defesa, Nyusi recuou da ideia e foi buscar Cristóvão Artur Chume, quadro do Ministério da Defesa. Em 2013 e 2014, no auge dos confrontos entre elementos da Renamo e as Forças de Defesa e Segurança, foi uma das principais caras que representava o Ministério da Defesa, numa altura em que desempenhava as funções de director da Política de Defesa.

Em Abril deste ano, o Presidente da República nomeou-o para o cargo de Comandante do Ramo do Exército, depois de o exonerar do cargo de Comandante da Academia Militar Marechal Samora Moisés Machel, funções que vinha desempenhando desde 2019.

Mais do que ser um homem de escritório, Chume tem a particularidade de ir ao terreno. Na qualidade de Comandante de Exército, deu a cara aquando da recuperação da vila sede de Mocímboa da Praia pela tropa conjunta de Moçambique e do Ruanda.

O desafio de Chume passa por consolidar as conquistas alcançadas no combate ao terrorismo e liderar a modernização do exército moçambicano, um dos principais desejos já avançados por Filipe Nyusi.

Já para o Ministério do Interior, pela primeira vez na história do país, o Presidente da República apostou numa mulher. Chama-se Arsénia Felicidade Félix Massingue que substitui o já exonerado Amade Miquidade. Com larga experiência em cargos de chefia e liderança no Ministério do Interior, fez a sua formação superior em Portugal. Foi comandante provincial em Manica e Nampula. Em 2009, era a única mulher comandante provincial e revelou à Stv que o seu sonho de infância era ser médica e agente da Polícia. Quis o destino que fosse agente da Polícia e sempre acreditou no seu potencial e da mulher no geral.

Até à data da sua nomeação, exercia as funções de directora-geral do Serviço Nacional de Migração.

Arsénia Massingue assume a pasta do Interior numa altura em que persiste o crime de raptos a empresários, sendo que, até hoje, pouco ou nada se sabe sobre os mandantes desses crimes. Além dos raptos, a nova ministra é desafiada a arranjar soluções para outras formas de crime organizado, associado ao terrorismo em Cabo Delgado.

Ainda nesta quinta-feira, Filipe Nyusi nomeou Constantino Bacela para o cargo de ministro na Presidência para Assuntos da Casa Civil.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos