O País – A verdade como notícia

Concurso de Cinema marca semana da 7ª arte

Ministra da Cultura e Turismo, Eldevina Materula, procede à apresentação oficial do concurso de cinema, cuja cerimónia será dirigida esta terca-feira, na cidade de Maputo.

No dia 5 de Novembro, celebra-se o Dia Mundial do Cinema. No contexto das festividades alusivas a data, o Instituto Nacional das Indústrias Culturais e Criativas-INICC (Instituição tutelada pelo Ministério da Cultura e Turismo), leva a cabo diversas actividades com destaque para projecção de filmes nacionais, realização de debates, feiras e exposições em todo o país.

De acordo com uma nota de imprensa, como parte destas celebrações que vão marcar a semana, há que destacar a apresentação oficial do concurso sobre cinema, cuja cerimónia será dirigida pela Ministra da Cultura e Turismo Eldevina Materula.

A celebração do Dia Mundial do Cinema, avança o Ministério da Cultura e Turismo, justifica-se pelo facto da sétima arte ser uma forma dominante de expressão artística e cultural na sociedade, para além de constituir um factor central da afirmação da cultura e propagação de valores que unem os povos e contribuem para o desenvolvimento social. “Apesar da crescente produção cinematográfica, que se vislumbra pela crescente produção, há inúmeros desafios no campo do cinema, e nesta vertente a Lei n.1/2017 de 6 de Janeiro, traz um grande desafio: o de promover e incentivar ainda mais as produções nacionais com incremento de fundos para a prospecção de novos talentos. Neste contexto, importa fazer referência a contribuição anual global do cinema em Moçambique (aos cofres do Estado) que ronda os 25 milhões de meticais”.

Para Ivan Bonde, Director do Instituto Nacional das Indústrias Culturais e Criativas, o INICC pretende que a semana do cinema seja um momento de festa e de maior aprofundamento do papel da sétima arte na educação e formação de uma sociedade.

Na esteira das celebrações, que terão o seu pico no dia 5 de Novembro, está agendada a projecção do filme moçambicano intitulado “Resgate”, uma produção de Mickey Fonseca e Pipas Forjas, o primeiro filme moçambicano a entrar no catálogo da Netflix e que amealhou os prémios de Melhor Roteiro e de Design no African Movie Academy, em 2019, e conquistou também o prémio de Cinema Corajoso do austríaco Film Fest Zell.

A produção cinematográfica conta a história de um jovem que se vê forçado a entrar para o mundo do crime e tem de lidar com as consequências das suas escolhas. Retrata também a realidade dos raptos de empresários moçambicanos no país.

O filme será exibido quinta-feira, no Auditório do INICC (extinto INAC) às 14h00.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos