O País – A verdade como notícia

Compuscan arranca com actividades a partir de janeiro

A partir de Janeiro, a banca e outros credores passarão a contar com uma base centralizada de dados sobre informações financeiras de pessoas e empresas.

Não é de hoje que a banca e as instituições de microfinanças tem dificuldades de conceder financiamentos, e é ainda mais complicado quando os valores são elevados. A dificuldade é mais grave para os outros tipos de fornecedores, como telecomunicações, retalhistas, serviços de utilidade pública, seguros, entre outros.

Mas este é um problema que “tem os dias contados”, uma vez que a partir de Janeiro de 2019, os Bancos e Instituições de Microfinanças passam a compartilhar dados que possibilitarão o aumento do volume de empréstimos e melhorarão o acesso ao financiamento, com menor risco de crédito no mercado nacional.

Trata-se do arranque das actividades de um “Bureau de crédito“, que surge com a entrada no mercado nacional, da sul-africana Compuscan. “Basicamente recolhemos a base de dados de crédito de todo o sector, financeiro e não financeiro” explicou a Directora de Desenvolvimento de Negócio da Compuscan, Lara Cangi.

Ainda explicando a forma como funcionara a entidade, Lara Cangi disse que depois de recolhidos os dados de diversas empresas, “validam a informação e produzem relatórios de crédito”.

Esta última fase, a produção de relatórios, “possibilita que seja documentado o histórico de bom comportamento dos indivíduos, e eles terão acesso a mais crédito” explicou a directora acrescentando que “eles terão a possibilidade de ter os tempos de respostas sobre os créditos solicitados num curto espaço de tempo, o que motiva ao mercado a solicitar mais crédito”.

A Compuscan foi recentemente autorizada, como primeira agência de informação de crédito no país, mas até então, os relatórios eram feitos pelo Banco de Moçambique, que é a central de registo de crédito pública (também conhecido por Bureau de crédito pública).

“A informação que o Banco disponibiliza é baseada na informação da Banca comercial fechada aos números de bancos do país”, mas há indivíduos que também tem crédito nas instituições de microfinanças, cuja informação “não existe esta agregada”.

Este vazio em termos de informação poderá ser fechado “pelos relatórios da Compuscan, sem contar que com o tempo, a mesma pretende abranger todo sector de mercado” revela a Directora de Desenvolvimento de Negócios.   

A Compuscan chega quase três anos depois da criação da Lei que cria o Sistema de Informação de Crédito de Gestão Privada, e torna-se assim, a primeira agência de informação de crédito.

Criada há 24 anos, a Compuscan opera em nove países africanos, incluindo Moçambique.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos