O País – A verdade como notícia

Nyusi diz que não hesitará em tomar decisões que visam salvar a vida dos moçambicanos

Foto: O Pais

“Como Chefe de Estado não hesitarei em tomar decisões que visam salvar a vida de todos os moçambicanos. A nossa missão é tornar Moçambique um país pacífico e livre do terrorismo”, estas são algumas das garantias dadas há instantes pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, na sua Comunicação à Nação sobre o terrorismo no norte de Cabo Delgado.

Na comunicação que durou perto de 1 hora, Nyusi começou por falar dos impactos dos ataques terroristas, que acontecem desde 2017, do modus operandis dos terroristas, do empenho das Forças de Defesa e Segurança, e deu maior destaque a explicação sobre a presença das forças estrangeiras no país e terminou exortando a unidade nacional.

Sobre a presença de forças estrangeiras no país, o Chefe de Estado disse que não há motivos para receios. “Não devemos temer o apoio porque nenhum país combate o terrorismo sozinho. Os moçambicanos é que estarão na vanguarda por conhecerem melhor o terreno. Somos um país soberano e continuaremos a ser.Ninguém conhece a nossa casa melhor que nós, por isso continuaremos em frente ao processo. As forças do Ruanda estão no nosso país ao abrigo do acordo bilateral no quadro da segurança e já notificamos formalmente a SADC sobre a presença das forças estrangeiras no país. Decidimos que a primeira abordagem seria contar com a nossa organização regional, a SADC. Fomos cautelosos para aceitar ajuda internacional porque a situação exige cautela. Portugal, EUA, França, Argélia são alguns dos países que ofereceram-se para apoiar o nosso país e isso mostra que há um forte movimento de solidariedade para combater este mal”, disse Nyusi.

Falando dos próximos passos, o Chefe de Estado ressalvou a importâ de apostar-se na formação e na unidade nacional.

“Vamos continuar a apostar na formação das Forças de Defesa e Segurança e numa estratégia multifacetada. Vamos continuar a dar apoio humanitário e proteger aos deslocados. A Unidade nacional continua a ser a nossa força para alcançar vitórias, por isso exortamos a toda sociedade, desde políticos, desportistas, académicos, profissionais da comunicação social, a tudo fazerem para preservarmos a nossa unidade nacional”, exortou.

ATAQUES JÁ FIZERAM MAIS DE 800 MIL DESLOCADOS

No início da sua intervenção, o Presidente da República falou dos impactos dos ataques terroristas, que já fizeram vários deslocados e destruíram diversas infraestruturas sociais. “Já temos mais de 800 mil deslocados vítimas deste fenómeno. Os dados mostram que oito professores foram assassinados e 1736 professores estão deslocados em vários distritos de Cabo Delgado”, disse Filipe Nyusi.

Os sectores da Educação e da Saúde têm sido dos mais afectados pelos ataques terroristas. ” Neste momento 11 centros de saúde estão destruídos e 15 estão encerrados. Os distritos de Macomia, Muidumbe e Palma não dispõem de serviços de saúde. Os sectores de abastecimento de combustível e bancos comerciais também têm sido afectados. A prática da agricultura tem sido negativamente afectada. As pessoas não se sentem seguras em ir às machambas”, referiu o Chefe de Estado.

1

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos