O País – A verdade como notícia

Clima económico continuou desfavorável no II semestre

A conjuntura da economia moçambicana, traduzida pelo indicador do clima económico das empresas (ICEE) diminuiu em Julho, em comparação com o mês anterior, revela informação mais recente do Instituto Nacional de Estatística (INE), revelando o pessimismo dos empresários em relação à estabilidade do mercado, visto que o Índice de Clima é uma medida qualitativa de avaliação agregada das perspectivas dos agentes económicos sobre a evolução da economia no curto prazo.

A desaceleração do clima económico, de acordo com o documento, foi influenciada, principalmente, pela queda das perspectivas de emprego, num ambiente caracterizado por perspectivas alta da procura (recuperação da procura, favorecida pela redução do nível geral de preços). A quebra do clima económico interrompe três meses consecutivos de apreciação favorável.

No mesmo período, houve avaliação favorável do Índice de Clima Económico pelos sectores da actividade de hotelaria e serviços similares, comércio (pelo terceiro mês consecutivo), melhoria da confiança do sector de transportes relativamente ao mês de Junho.

Procura continuou a melhorar

O indicador de perspectiva de procura (expectativas do empresariado em relação à procura, prolongou no mês de Julho a trajectória de crescimento pelo quinto mês consecutivo, situação que fica a dever-se à uma avaliação positiva do indicador em análise nos sectores de transportes, comércio, alojamento e restauração e de construção. Contrariamente, os sectores da produção industrial e de outros serviços não financeiros registaram uma diminuição da confiança nas suas perspectivas da procura.

Já o indicador de perspectiva de emprego continuou em queda pelo segundo mês consecutivo, em resultado das avaliações desfavoráveis em todos os sectores alvos do inquérito, excepto nos sectores de construção e de comércio que registaram opiniões abonatórias da perspectivas de emprego.

O indicador de perspectivas de emprego expressa o optimismo empresarial qualitativo sobre o emprego no horizonte de curto prazo.

Ainda em Julho, o indicador de perspectiva dos preços também registou uma diminuição de ritmo, em linha com o índice de preços no consumidor que também diminuiu em 0,50 pontos percentuais. A queda de preços futuros (preços esperados) deveu-se à previsão da sua diminuição pelos agentes económicos dos sectores da produção industrial e de comércio apesar da tendência de subida nos sectores de alojamento, restauração e similares, de construção e noutros serviços não financeiros bem como a actividade de transportes e armazenagem.

Importância dos inquéritos de conjuntura

Os inquéritos de conjuntura são instrumentos de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. Visam enriquecer o instrumental de análise da conjuntura interna, no que diz respeito ao sector real, e contribuir para a tomada de decisões de políticas mais acertadas e com a oportunidade desejada.

As perguntas deste tipo de inquéritos são de carácter qualitativo, refletindo as opiniões dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, sobre o comportamento de algumas variáveis significativas no presente e também sobre as suas perspectivas no futuro imediato.

A informação é compilada com base no inquérito mensal de conjuntura realizado pelo INE às empresas do sector não financeiro com vista a apurar o comportamento da economia para proporcionar informação aos utilizadores sobre a gestão e monitoria da política económica.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos