O País – A verdade como notícia

Clientes e consumidores denunciam sobrefaturação de água

Consumidores e clientes da Empresa Água da Região de Maputo nas Cidades de Maputo e Matola estão indignados com a empresa devido à cobrança de valores sobrefacturados de consumo mensal de água que chegam a atingir 24 mil meticais na categoria de consumidor doméstico.

Ana Maria Mohamed é residente do Município da Matola na província de Maputo. Ela é cliente da Empresa Águas da Região de Maputo há quase dez anos. Pagava até o início do ano em curso conforme os extractos exibidos à reportagem do Jornal “O País” uma média de 1700 meticais pelo consumo mensal de água para fins domésticos.

Desde que vigora o Estado de Emergência no país ele recebeu duas facturas, uma de 18 mil e outra com valores mais altos ainda.

Ana Maria, ou Mariamo como é conhecida, diz que é incompreensível que pague tais valores”.

De três meses para cá aparece uma factura de 24 mil meticais, 24 mil meticais de água é absurdo para mim numa casa onde vivem 5 pessoas e não se consome tanta água assim. Foi sempre regar o jardim e uso para as coisas de sempre, lavar a roupa a louça, beber e tomar banho. Agora 24 mil meticais só num mês não é possível”. Desabafou a Senhora Mariamo que também disse que os técnicos da empresa Águas da região de Maputo fazem leitura a partir da parte externa do quintal o que segunda ela os técnicos não fazem leitura fiel.

Marcelino Silva residente na Cidade de Maputo é outro exemplo das vítimas de sobrefacturação do consumo de água. Ele recorreu as redes socias para fazer a denúncia. E em entrevista ao jornal “O País” disse não encontrar razoabilidade nos valores cobrados.

Nos dois últimos pagamentos foram lhe cobrados 261 meticais e 335 meticais. Silva não entende como tem que pagar 1162 meticais.

“Não faz sentido porque não estou a dever e se estivesse a dever diria bom…eles juntaram o que estou a dever e juntaram a facturação correspondente ao mês em vigor, aí faria sentido, mas não faz sentido. Sobretudo porque tendo pago o que paguei, portanto, cerca de quinhentos e qualquer coisa, igual a estes dois valores não tinha que vir como está, tinha que vir metade ou menos da metade”.

Esta situação abrange ainda a mais consumidores que sentem-se lesados com a atuação da empresa provedora de água.
Contactada a Empresa Águas da Região de Maputo para explicar-se perante estes factos prometeu pronunciar-se oportunamente.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos