O País – A verdade como notícia

Cientistas procuram respostas para pandemia da COVID-19 em Roma

O projecto europeu “EuCARE” que decorre hoje (11 de Novembro) em Roma pretende clarificar alguns dos aspectos mais debatidos e cruciais na epidemia de SARS-Cov-2.

Coordenado pela Rede EURESIST, 22 universidades, hospitais e centros de investigação irão trabalhar para gerar respostas sólidas, baseadas na evidência dos dados, com o suporte de componentes imuno-virológicos fortes e inteligência artificial.

Com a participação de 60 cientistas da Europa e do mundo e representantes da OMS para uma partilha aberta de toda a informação, a pesquisa irá usar “coortes” de vários hospitais, incluindo doentes com “Long COVID”, “coortes” de profissionais de saúde vacinados e coortes de escolas na Europa, Quénia, México, Rússia e Vietname para reunir dados de um total de mais de 2600 doentes, 1600 profissionais de saúde e 26000 estudantes e professores seguidos em estudos prospectivos.

“Cerca de 10% dos doentes entre os 18 e 59 anos e maiores percentagens com idades superiores têm sintomas clínicos persistentes durantes meses, desenvolvendo ‘Long COVID’”, explicou Antonella D’Arminio Monforte, Professora Catedrática e directora da clínica de doenças infecciosas e tropicais na da Universidade de Milão.

O projeto EuCARE procurará obter estruturas horizontais para os estudos coorte: para a análise de dados através de métodos de inteligência artificial sob supervisão da IBM Israel e para investigações em amostras com os sistemas imunológicos e virológicos mais avançados sob supervisão de Maurizio Zazzi, professor de Microbiologia da Universidade de Siena. Este projeto, portanto, não só procura respostas para a pandemia actual, mas também pretende criar capacidades para enfrentar potenciais epidemias do futuro.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos