O País – A verdade como notícia

Cidade de Tete menos exposta ao Coronavírus, segundo INS

Os profissionais de saúde, os transportadores, os mercados, a Polícia da República de Moçambique (PRM) e a Polícia Municipal estão mais expostos ao novo Coronavírus na cidade de Tete, segundo o Instituto Nacional de Saúde (INS). A instituição salienta, porém, que a urbe apresenta uma seropositividade inferior a de outras cidades do país onde já houve inquérito sero-epidemiológico da COVID-19.

Todas as faixas etárias estão expostos ao Coronavírus. Entretanto, a exposição é maior nos adolescentes e jovens de 15 a 34 anos.

O bairro Matundo (1.7%) apresenta seropositividade comunitária mais elevada.

Os dados constam dos resultados preliminares do inquérito sero-epidemiológico apresentando esta quinta-feira na cidade de Tete.

O INS aponta ainda que entre os profissionais de saúde, os técnicos de medicina geral (4.2%) e farmacêuticos (3.7%) apresentam maior taxa de exposição à doença.

O INS apurou igualmente uma taxa de exposição de 2.9% na Polícia da República de Moçambique (PRM) e na Polícia Municipal.

Os transportadores apresentam uma taxa de 1.5%. Aliás, neste grupo, os transportadores de médio e longo curso são os mais expostos ao novo Coronavírus e a maior taxa no sector foi apurada entre os operadores interdistritais e interprovinciais (3.6%).

Nos transportes de longo curso, diz o INS, a taxa de exposição é de 5.9%, em Canangola e cruzamento da Zâmbia.

No transporte urbano, incluindo táxi, não foram detectados sinais de exposição ao vírus. Nos moto-táxis, a taxa de exposição é de 1.0%.

Em relação ao comércio, os vendedores do mercado Retiro da Saudade (2,9%) e mercado OUA (1.8%) apresentam maior taxa de exposição à COVID-19, de acordo com o INS.

“A maioria dos participantes expostos” à COVID-19 não apresenta sintomas, indica o inquérito.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos