O País – A verdade como notícia

Cidadãos dizem que os novos preços de combustíveis são insuportáveis

Foto: O País

Nas Cidades de Maputo e Matola cidadãos dizem que os recentes reajustes aos preços dos combustíveis vão afectar negativamente as suas poupanças e impactar sobremaneira nas suas vidas, causando maior empobrecimento.

Foi através de um comunicado de imprensa que a Autoridade Reguladora de Energia deu a conhecer ao país a actualização de preços dos combustíveis a partir desta quinta-feira.

E Sara da Silva, soube, na última noite, pela televisão que os combustíveis passam a ser mais caros, e como primeira reacção diz que vai deixar o seu carro para andar de transporte público ou semi-colectivo. “Eu, em particular, trabalho com carro e está a tornar-se muito difícil e como alternativa vou recorrer ao transporte público ou mesmo o chapa”.

Euclides Manjate, residente do Município da Matola, junta aos seus cálculos diários os novos preços de combustíveis e as taxas de portagem e conclui que a situação está difícil. “Realmente isto foi uma surpresa para mim, porque só agora que entro nas bombas ela diz-me que o combustível subiu e isso vai ter um impacto negativo nas poupanças. É sabido que o salário não ajuda e com esta subida repentina não vai dar certo”. Um posicionamento que esta quinta-feira virou tema de conversa em todos os quadrantes da sociedade.

Para já o gasóleo passa dos anteriores 57 meticais e 45 centavos para os actuais 61 meticais e 71 centavos uma subida de quase 5 meticais. A gasolina passa de 62 meticais e 50 centavos para 69 meticais e 04 centavos, um aumento de quase 7 meticais.

Um operador de transporte semi-colectivo sugere o aumento do preço a praticar no chapa. “Subir chapa sim para a gente ter rendimentos também, porque assim como está vamos estar a girar de borla”.

O gás de cozinha também subiu, Saulina levava na cabeça uma botija de gás de 9kg e ela foi comprar o gás sem saber dos novos preços.

A botija de 11kg custava 640 MT e agora está a ser comercializada a 783 MT. O de 14kg era vendido a 815 passou para 994 MT. A botija de 19kg estava, a bem pouco tempo, a ser comercializada a 1.115 MT e passou para 1.349 MT. A botija de 45kg era vendida por 2.430 meticais e passou para 3200 meticais. A de 48kg subiu de 2.592 para 3.408 meticais e a botija de 9kg vendida, até está segunda-feira, a 525 já está a ser vendida a 639.meticais e 18 centavos. Rosa Filipe teve de deixar a botija para acrescentar o dinheiro e só assim conseguiu levar o gás para casa.

Uma situação que vai complicar as contas dos consumidores, nos próximos dias, segundo diz Inácio Nhabanga, um outro munícipe, que estava mesmo num dos postos de revenda da Cidade de Maputo, e considera que os próximos dias serão difíceis.

No posto de revenda de gás de cozinha, no Bairro da Polana Caniço, perto do mercado “Compone” há, logo à entrada, um manuscrito com os novos preçários de venda de gás ao consumidor e houve, igualmente, clientes que tiveram que recuar face a estes novos preços.

O gás natural veicular (GNV) passa de 30,00 o litro para 32 meticais e 69 centavos.

Refira-se que de acordo com o documento da Autoridade Reguladora de Energia o último ajustamento de preço de combustíveis líquidos foi efectuado em Novembro do ano passado, isto é, quase um ano.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos