O País – A verdade como notícia

Ciclone Gombe no Norte: Filipe Nyusi insta pais a não deixarem crianças irem às aulas

O Presidente da República, Filipe Nyusi, pediu, hoje, alerta máximo à população e a tomada de medidas de precaução face à passagem do ciclone Gombe, que amanhã afectará a região Norte do país, com características próximas às do ciclone Idai.

O sistema, com rajadas de vento com mais de 200 quilómetros por hora e chuva acima de 200 milímetros, vai durar durante três dias, acompanhada de trovoadas, com incidência nas províncias de Nampula e Zambézia.

Falando durante a inauguração do campus universitário da Universidade Licungo, em Dondo, Filipe Nyusi acrescentou que “as previsões indicam que o fenómeno poderá afectar 580 mil pessoas e destruir parcial e ou totalmente sete mil escolas, 750 unidades sanitárias, 15 troços de estradas e 77 pontes e pontecas poderão ser intransitáveis. É mais um problema, é mais um desafio!”, lamentou Nyusi

A mitigação deste desafio, segundo Filipe Nyusi, depende do comportamento de cada um, passando pelo cumprimento rigoroso das medidas de prevenção “que serão comunicadas pelo INGD e outros meios de comunicação existentes no país. Chamamos a atenção para não haver dramatização e evitarem boatos nas redes sociais para não se criar pânico no meio das pessoas. Protejam as janelas, portas e tectos das casas, tal como vimos aqui, na Beira, quando se preparavam para fazer face ao ciclone ANA. É importante também terem kits de emergência que devem incluir água para consumo e protegerem muito bem os documentos. Por favor, evitem mandar as crianças para as escolas a partir de hoje, sobretudo nas províncias de Nampula, Zambézia e Sofala, até que a situação normalize. Evite por favor usar celular quando o fenómeno chegar, pois pode ser uma fonte de uma descarga eléctrica e provocar a morte, e mantenham as fontes de energia desligadas”, alertou o presidente da República da República.

O Chefe do Estado assegurou que o Governo, os técnicos da área e dirigentes já se deslocaram às zonas que serão afectadas para acompanhar a situação para posterior assistência e afirmou que a situação vai normalizar-se a partir do dia 13 de Março.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos