O País – A verdade como notícia

Ciclone Gombe: INGD desactiva 20 centros transitórios na Zambézia

Foto: O País

Trata-se de centros que albergavam mais de dez mil pessoas em cinco distritos da província, duramente afectados pelo ciclone Gombe. Neste momento, pelo menos 72 mil pessoas afectadas, incluindo aquelas dez mil, recebem apoio alimentar. O Governo da Zambézia, liderado por Pio Matos, acaba de alocar mais de 20 toneladas de produtos alimentares diversos para suprir défice dos stocks do INGD.

O ciclone tropical Gombe deixou marcas em várias famílias na província da Zambézia, onde pelo menos oito pessoas perderam a vida. Muitas delas perderam as suas casas e culturas de rendimento. Os números apontam para 72 mil pessoas afectadas por aquele evento ciclónico. O delegado provincial do Instituto Nacional de Gestão do Risco de Desastres (INGD), Nelson Ludovico, diz que já foram desactivados todos os 20 centros transitórios.

Trata-se de centros de cinco distritos mais afectados pelo ciclone Gombe, nomeadamente Quelimane, Nicoadala, Namacurra, Mocuba e Maganja da Costa. As respectivas famílias foram transferidas para os bairros de reassentamento, onde, de forma definitiva e segura, vão tocar as suas vidas sem sofrer, no entanto, a questão das enxurradas.

“Sim, já desactivamos todos os vinte centros transitórios. Nós fazemos uma avaliação de mais de dez mil pessoas e as mesmas foram conduzidas aos bairros de reassentamento, onde algumas já tinham os seus espaços e, para outras, tivemos que fazer o processo de parcelamento com apoio das autoridades locais”, disse o delegado do INGD na Zambézia, para quem o grande desafio da actualidade passa por criação de bairros de reassentamento, voltados para o desenvolvimento.

Ou seja, Ludovico entende que as famílias por si devem conseguir diversificar as fontes de geração de renda para o seu sustento. “As famílias nos bairros de reassentamento não podem esperar por todas as iniciativas de renda vinda das autoridades. O  nosso foco é para que as famílias fiquem nos bairros de reassentamento e nós temos que encontrar soluções para que não regressem às zonas de risco. Sentimos que anualmente são as mesmas pessoas ou famílias que retiramos das zonas de risco para as zonas seguras. Por isso, sentimos que há necessidade de repensarmos aquilo que deve ser o modelo de reassentamento voltado ao desenvolvimento, em que poderemos identificar actividades de geração de renda para as famílias”.

Entretanto, o Governo da Zambézia acaba de mobilizar mais de 20 toneladas de produtos alimentares diversos. Os bens foram entregues, esta terça-feira, ao INGD pelo governador da província. Na ocasião, Pio Matos recebeu garantias do delegado provincial do INGD que tudo que foi entregue iria chegar às famílias necessitadas. Por sua vez, o timoneiro da Zambézia voltou a chamar a tensão à população da província para a solidariedade entre si.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos