O País – A verdade como notícia

Chuva volta a “ameaçar” bairros de Maputo

Foto: O País

A Cidade de Maputo registou nas últimas horas chuvas acima de 40 litros por metro quadrado, quantidade que foi suficiente para alagar alguns bairros. O Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) prevê a continuidade da queda de chuvas fracas até ao fim-de-semana.

A chuva chegou e trouxe alagamentos em alguns pontos da Cidade de Maputo, a capital do país. E é sempre assim quando a época chuvosa chega.

Alice Timóteo, leva sua filha às costas, há um mês arrendou uma das casas no bairro Costa do Sol, e não sabia dos alagamentos em tempo chuvoso e pensa em abandonar a casa. “Tenho que sair daqui, porque toda hora minha filha tem que ficar dentro de casa, eu tenho que ficar num sítio em que a criança possa brincar à vontade. Quando vim arrendar não sabia que ficava inundado, só vi ontem quando choveu, eu estava em casa da minha mãe e encontrei a chuva”.

Já no bairro municipal de Magoanine, mais a norte da Cidade de Maputo, no distrito Municipal de Ka Mavota, os alagamentos continuavam visíveis até ao meio da tarde desta terça-feira, depois de uma noite inteira de chuva. Há troços intransitáveis, um deles liga os bairros municipais de Magoanine e Albasine, naquele ponto as pessoas recorrem aos muros de vedação para a sua mobilidade.

A avenida Sebastião Marcos Mabote também tem um troço cheio de água, onde os carros literalmente mergulhavam.

Na rua da Beira a situação esteve mais crítica e sou passavam os mais ousados. Momed Faquir fazia-se a bordo de uma motorizada e preparava-se para enfrentar as águas da rua da Beira, em frente ao mercado de Mavalane, e exigia das autoridades municipais uma intervenção para resolver o problema. “Está difícil, ontem estava pior que isto e todos os dias somos sujeitos a termos que usar esta via, então esperamos que quem é de direito faça alguma coisa para ajudar os munícipes”.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia, a zona norte da Cidade de Maputo recebeu 44.2 mm de chuva o correspondente a 44.2 litros de água por metro quadrado, e a zona sul 45 mm quantidade de chuva suficiente para alagar zonas com solos saturados e o INAM avisa que a chuva vai continuar embora com algum abrandamento e Lelo Tayob e o meteorologista em serviço que deu a informação ao Jornal “O País”.

“Amanhã a tendência é diminuir essa quantidade ainda que a atmosfera esteja muito húmida, há muita água na atmosfera o suficiente para a qualquer momento poder chuviscar. E segundo os modelos, tudo indica que no fim-de-semana podemos ter chuvas fracas”.

Refira-se que o país já está na época chuvosa que vai vigorar até Março  de 2022.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos