O País – A verdade como notícia

Chuva e ventos fortes deixam Beira de rastos e sem comunicações

A cidade da Beira está inundada, sem energia eléctrica e várias infra-estruturas destruídas em consequência da chuva e ventos fortes de 140 quilómetros/hora, com rajadas até 160 quilómetros/hora, que fustigam a província de Sofala, desde sexta-feira.

A chuva e os ventos fortes que afectam a província de Sofala são influenciados pela tempestade “Eloise”, que assola igualmente Zambézia.

Dados preliminares fornecidos pelas autoridades apontam que não há registo de mortes nem feridos conta da situação.

A cidade da Beira está sem corrente eléctrica desde a madrugada deste sábado e a comunicação através das telefonias móveis é deficiente.

As primeiras indicações apontavam que o pico dos ventos, de cerca de 150 quilómetros, seriam a partir de meia noite. Tudo aconteceu conforme a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (INAM). Durante cerca de uma hora e trinta minutos, Beira foi colocada à prova de resiliência pela mãe natureza.

A força dos ventos destruíram tecto de várias residências, principalmente nas zonas suburbanas, onde abundam casas de construção precária.

Na cidade cimento o ciclone tropical “Eloise” não poupou varias infra-estruturas: é o caso do Centro de Saúde da Ponta-gêa, cujo tecto ficou destruído, apesar da reabilitação de que beneficiou há seis meses, apos ter sido arrasado pelo ciclone Idai.

Em diferentes artérias da capital de Sofala, os vestígios da passagem dp ciclone tropical “Eloise” saltam às vistas. Vários ramos de árvores foram arrancados. Aliás árvores, algumas de grande portr, foram derrubadas e condicionam a circulação de pessoas e bens.

Na marginal, a força dos ventos removeu grandes quantidades de areia que os munícipes estão a aproveitar para vários fins.

Na Praia Nova, um dos bairros mais vulneráveis a intempéries na cidade da Beira, centenas de moradores pernoitaram em várias escolas. Só assim escaparam da fúria da natureza. Na manhã deste sábado, citadinos dirigiram-se às suas casas ver se alguma coisa restou e tentar recomeçar a vida.

Além de destruição e inundações, o mau tempo originou corte de comunicações na cidade da Beira e em alguns distritos de Sofala, à semelhança do que aconteceu aquando do ciclone Idai.

A Vodacom diz que a situação afectou os serviços de voz e dados. Contudo, equipas estão no terreno com vista a resolver o problema. Trabalhos em cursos serão extensivos a outras províncias, como Zambézia, assolados pela tempestade “Eloise”.

A Tmcel informou que já efectuou a reposição de comunicações de voz, dados e internet na cidade da Beira, cujas infra-estruturas haviam sido fustigadas, durante a madrugada de sábado, pelo ciclone tropical “Eloise”.

“Podemos considerar que as comunicações da Tmcel foram repostas na sua generalidade ao nível da província de Sofala, mas poderão persistir algumas anomalias que iremos corrigir ao longo do dia”, disse fonte senior da instituição, acrescentando estarem igualmente operacionais as linhas de Chimoio e Tete”, diz a operadora.

“As comunicações em Quelimane estão ainda fora de serviço”, mas acredita-se que possa ocorrer a sua reposição no decorrer do dia deste domingo”, acrescenta a Tmcel, salientado que ao nível da região norte, não obstante a imediata intervenção das equipas locais, as comunicações continuam a fluir com alguma dificuldade.

Por sua vez, a Electricidade de Moçambique (EDM) disse, em comunicar a que “O País” teve acesso, que houve queda de postes, alagamento de equipamentos e rompimento de cabos eléctricos, o que originou “apagão” não só na Beira, mas também nas outras cidades e distritos vizinhos de Sofala.

“Em resposta à situação climatérica adversa, a EDM activou o plano de contingência, estando neste momento no terreno equipas técnicas para, na medida do possível, restabelecer o fornecimento de energia com toda a segurança”, diz a empresa pública.

O “Eloise” vai afectar igualmente Manica, a seguir o Zimbabwe, a África do Sul e, mais tarde, o Botsowana, onde vai dissipar-se assegurou o meteorologista Acácio Tembe, afecto ao INAM.

A fonte esclareceu que prevalece o aspectro de chuvas nas próximas horas nas províncias de Sofala e Manica.

(Francisco Raiva e Romeu Carlos)

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos