O País – A verdade como notícia

Chissano considera que actual desafio é tornar a paz efectiva

O antigo Presidente da República, Joaquim Chissano, e um dos intervenientes da assinatura do Acordo Geral de Paz, em 1992, em Roma, considera que o actual desafio do país é a busca por uma paz efectiva. “25 anos é um tempo não longo. Ainda é curto porque queremos que a paz dure para sempre e não se deve medir por anos. Este é que é o desafio: que não meçamos o sucesso da paz por um ano, 25 ou 50. Nós queremos a paz para sempre. E para isso, devemos falar sempre da paz e fazer a paz em todos os lugares onde hajam moçambicanos”, referiu.

Para Chissano, a paz não se trata apenas do calar das armas, mas também com o fim da criminalidade e todos os males que põem em causa o bem-estar comum. “O desafio é trabalhar com a consciência dos moçambicanos, para que não sejam tentados por esses males”, disse.

O antigo Estadista considera ainda que a paz precisa de uma vida sã, tanto economicamente como politicamente. Chissano defende que todos os moçambicanos tenham o que comer. “Como se diz, onde não há pão, todos falam e ninguém tem razão. Pior é quando todos lutam e ninguém tem razão. Portanto, temos que assegurar que todos os moçambicanos possam ter pão”, concluiu.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos