O País – A verdade como notícia

Chiquinho Conde: “quero trazer o orgulho de representar a selecção nacional”

Fotos: Olho Clínico

Foi com estas palavras que Chiquinho Conde assumiu, na tarde desta terça-feira, o comando técnico dos “Mambas” e vincou que pretende devolver o amor pela selecção nacional de futebol. Na sua apresentação, o antigo capitão da selecção, que assinou um contrato válido até 2023, deixou claro que os “Mambas” são Dominguez mais 10 jogadores.                                                                      

Francisco Queriol Conde Júnior, ou simplesmente, Chiquinho Conde, garantiu que vê concretizado o sonho de um dia orientar a selecção nacional.

“É um orgulho estar aqui. É uma tarefa enorme. Uma missão patriótica que vou abraçar. Mas é também espinhosa, porque os moçambicanos estão ávidos de vitórias. Precisam de alegria. Quero poder transmitir aos atletas essa alegria, o orgulho e a satisfação de representar a selecção nacional. O futebol é o ópio do povo”, frisou.

Chiquinho foi, igualmente, cauteloso, chamando a atenção para a não criação de expectativas sem trabalho. Considerando que a selecção é lugar para fazer sacrifício e de missão.

“Não trago nenhuma varinha mágica, mas quero poder ajudar todos aqueles que forem convocados a perceber que estamos diante de uma missão patriótica. Uma missão na qual devemos disputar cada bola como se fosse o último lance. Se nós tivermos isto, este carácter, estaremos mais próximos de alcançar aquilo que é o nosso objectivo”.

A apresentação do técnico teve dois momentos. O primeiro mais formal, marcado por uma curta declaração de Chiquinho Conde. Só 15 minutos mais tarde começou a primeira conferência de imprensa do novo seleccionador, período em que afirmou que pretende retribuir a confiança em si depositada.

Respondendo à recente crise no balneário dos Mambas, Chiquinho Conde não deixou dúvidas!

“Domingues? É o capitão da equipa. Mas, se quiserem saber, a selecção será Domingues e mais 10”.

A primeira convocatória de Chiquinho Conde será conhecida esta sexta-feira, a estreia está marcada para o dia 11 de Novembro, com a Costa do Marfim, três dias depois um duelo com o Malawi, partidas de qualificação ao Mundial 2022, prova na qual os Mambas já não têm possibilidades de fazer parte.

Sobre a composição da sua equipa técnica, o novo seleccionador de futebol de Moçambique disse que o dossier ainda não estava fechado e que, por isso, nem o número de membros, por enquanto, poderia ser adiantado. No entanto, o jornal “O País” sabe que Chiquinho Conde exigiu a integração de adjuntos portugueses no seu grupo de trabalho.

Para além da equipa técnica, ficou também por revelar o seu salário e condições financeiras ao seu dispor.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos