O País – A verdade como notícia

China oferece 80 autocarros para transporte urbano

Os autocarros entregues, ontem, resultam de acordos no âmbito da cooperação económica e técnica entre Moçambique e China, assinados em 2015 e 2016, em Macau. Estes autocarros serão distribuídos pelas diversas capitais provinciais do país, sendo Maputo a que maior lote vai absorver, embora não tenham sido ainda revelados os números exactos que caberão a cada cidade.

O embaixador da República da China em Moçambique, que procedeu a entrega dos autocarros, disse, na ocasião, que o seu país estava ciente da grave crise de transporte que Moçambique enfrenta, por isso pretende apoiar o “governo para oferecer aos cidadãos um serviço de transporte público mais eficiente e mais confortável”.

A China não só ofereceu os autocarros, como também financiou a construção de um centro de manutenção dos mesmos, na Matola, que vai servir os Municípios de Maputo, Matola e Boane.

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, que recebeu os autocarros em nome do Governo moçambicano, enalteceu o gesto do Governo chinês e reconheceu que os novos meios circulantes serão importantíssimos na mitigação do problema de transporte urbano. Mesquita acrescentou, porém, que este problema não seria resolvido apenas com iniciativas governamentais, sendo, por isso, necessária a intervenção do sector privado, à semelhança do projecto Metrobus, que integra automotoras e uma frota de 90 autocarros de capacidade diversa, que, em princípio, entra em funcionamento no próximo mês de Dezembro.

Mesquita falou também da manutenção dos autocarros, tendo referido que, doravante, os custos de manutenção dos autocarros passam a ser incluídos no pacote de aquisição, sendo que o projecto piloto neste sentido, com cinquenta autocarros, está a ter resultados satisfatórios. “Todos os 50 autocarros continuam a funcionar e em bom estado”, disse o ministro.

Mesquita referiu, entretanto, que o Governo está ciente dos elevados custos operacionais do transporte público urbano, por isso vai continuar a apoiar o sector privado na aquisição de meios de transporte.

O presidente do Conselho Municipal de Maputo, David Simango, que também assistiu à cerimónia, disse a jornalistas que estavam em curso diversas iniciativas visando melhorar a mobilidade na cidade de Maputo, uma vez que os novos autocarros não seriam rentáveis, enquanto os problemas de congestionamentos prevalecerem. Simango disse que, em breve, entrará em funcionamento o que chamou de trânsito inteligente, que fará o controlo do fluxo de trânsito, de modo a priorizar os sentidos que maior número de viaturas tiverem. Simango diz que a faixa exclusiva vai continuar e a isso acrescentar-se-á a reabilitação de estradas, de modo a dar mais opções aos automobilistas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos