O País – A verdade como notícia

Chica Sales projecta quotidiano da mulher em exposição

Chica Sales inaugurou, esta quarta-feira, a exposição Dias e noites. Patente no Auditório do BCI, na cidade de Maputo, a individual da artista plástica investe na projecção da imagem da mulher e das preocupações aliadas ao seu quotidiano. Com efeito, não é uma mulher qualquer que interessa Sales nesta aventura pelo universo da pintura, mas a suburbana, que inspira e surpreende.

Ao mesmo tempo que a artista plástica eleva por via da pintura e do desenho o espírito feminino, deixa-se levar pela questão identitária, por via da qual espera que os visitantes da exposição possam ter a possibilidade de observar e reverem-se nas imagens nas telas ilustradas. E artista explica-se: “A minha proposta é fazer com que as pessoas possam, depois de apreciar a exposição, dizer para si mesmas que elas fazem parte do vêem”.

A inspiração de Chica Sales para esta exposição é a mãe, quem passou por experiências que caracterizam mulheres humildes, aquelas que sabem quanto custa ir buscar água ao rio, usar pilão no acto da cozinha e tantas outras longas jornadas. “Quando me lembro das histórias contadas pela minha mãe, sinto vontade de passar as suas narrativas para a tela ou para o papel”.

A exposição Dias e noites é composta por 27 óleos sobre tela, sete aguarelas, três lápis e uns tantos tinta-da-china. Alguns quadros desta individual são de exposições passadas, afinal, assim entende a autora, nada impede que os mesmos estejam ao lado de obras inéditas.

Na percepção de António Barros, jornalista convidado para dizer algumas palavras prévias sobre o poder criativo de Chica Sales na cerimónia de inauguração, o que está patente em Dias e noites é a vitalidade da mulher moçambicana, feita de sofrimento e de muitas batalhas. E Barros sublinha: “aqui temos retratada a mulher moçambicana que aprendeu, não sei de quem, o milagre da multiplicação do pão”.

Entre as obras seleccionadas para Dias e noites encontram-se “Amor” (óleo s/ tela – 50x70cm), “As máscaras” (óleo s/ tela – 80x100cm), “Caminhos diferentes” (óleo s/ tela – 100x120cm) e “Ao longo do dia” (óleo s/ tela – 90x120cm).

Chica: O trajecto

Chica Sales é o nome artístico de Francisca Sales Machado. A artista plástica nasceu a 28 de Fevereiro de 1964, no distrito de Panda, na província de Inhambane. Chica Sales tornou-se artista em 1996. Tinha, nessa altura, 32 anos de idade. Unindo tinta e versos, escreveu Silêncio gritando, um livro de poemas e pintura. Além da vocação atinente às artes, Chica Sales também é uma mulher do desporto. No passado, representou a selecção nacional de basquetebol, bem como o Costa do Sol e Ferroviário da Beira, nas modalidades de atletismo, ginástica e basquetebol. Em termos académicos, Chica Sales é formada pelo Instituto Industrial de Maputo no Curso Técnico de Construção Civil – Vias de Comunicação e Hidráulica, em 1984. Nos Estados Unidos de América, formou-se em Desenho de Interiores e Decoração, pela Patrícia Stevens School of Interior Design e Fashion Merchandise e pela New York School of Interior Design. Chica já expôs 16 vezes em individuais 23 vezes em colectivas, além de Maputo, nas seguintes cidades: Argel (Argélia), Beijing (China), Brasília (Brasil), Berlim (Alemanha), Cape Town, Joanesburgo, Pretoria, Sandton (África do Sul), Lisboa (Portugal), Madrid (Espanha), Miami (Estados Unidos).

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos